Terceirização no Guarani: Nenê Zini segue na frente em disputa com Magnum por futebol do Bugre

0
Foto: Letícia Martins - Guarani Press

por júlio nascimento

A disputa entre Nenê Zini e Roberto Graziano segue ganhando novos capítulos. Como informou o Portal CB e a Rádio Bandeirantes na semana passada, o grupo de Nenê segue com a preferência entre os sócios e deve tomar conta do departamento de futebol a partir das próximas semanas.

Porém, a novela ganhou novos desdobramentos. Segundo informações divulgadas pelo jornalista Elias Aredes, do portal Só Dérbi, a proposta das empresas Traffic, Elenko e Grupo Rima apresentam diferenças significativas em relação à oferta da Magnum e ASA Alumínios.

Na proposta do grupo de Nenê Zini e Elenko Sports todo valor arrecado pelo departamento de futebol seria dividido em 70% para os empresários e 30% para o clube. O contrato teria duração de três anos com possibilidade de renovação por mais três em caso de aprovação dos conselheiros.

Já Roberto Graziano propôs um contrato com duração de dez anos para comandar o futebol profissional e a base do Bugre. A proposta sugere que 90% do que fosse arrecadado fosse diretamente para o empresário e apenas 10% direcionado ao Guarani. O futebol seria comandado por Rodrigo Pastana, atualmente no Paraná, e Lucas Andrino.

Conforme o Portal CB antecipou, o que pesou para Nenê Zini ganhar espaço, além de uma maior arrecadação para o clube, é a participação do Conselho de Administração. Na proposta da Elenko, o CA teria poder de veto em contratações de jogadores, técnicos, vendas e outros assuntos ligados ao departamento de futebol.

O presidente Palmeron prometeu, em entrevista à Rádio Bandeirantes, na última quinta-feira, que o processo de cogestão deve ser finalizado no máximo em 45 dias. A proposta escolhida já está em análise na junta jurídica do clube e depois será repassada aos sócios bugrinos.

Comente com seu Facebook