Superstição? Com faixa invertida, Ponte teve 35% de aproveitamento

0

por júlio nascimento

CAFÉ MORAES

Os pontepretanos supersticiosos vão reparar: desde o lançamento da camisa com a faixa invertida, em maio do ano passado, o número de derrotas da equipe foi superior ao número de vitórias. A Macaca conquistou 35% dos pontos disputados com esse estilo de uniforme. Já com a faixa tradicional, passando pelo símbolo, foram 44% dos pontos ganhos no mesmo período.

Com a faixa invertida foram 47 jogos com 13 vitórias, 11 empates e 23 derrotas. Foram 50 pontos ganhos dos 141 disputados. O uniforme foi utilizado em boa parte na campanha do rebaixamento para no Brasileirão de 2017, mas também foi usado no título do Troféu do Interior neste ano.

Já a faixa tradicional, utilizada principalmente nos uniformes alternativos com a cor cinza ou azul, vestiu a Ponte Preta em 27 jogos nos últimos 13 meses. Foram 8 vitórias, 12 empates e 7 derrotas. 36 pontos dos 81 disputados.

A última vitória da Macaca com a faixa invertida foi diante do Criciúma, na segunda rodada da Série B, quando o gol de Felippe Cardoso rendeu os três pontos para a equipe campineira. Já o uniforme tradicional, com a faixa tradicional na cor cinza, esteve presente no último jogo da Ponte contra o Goiás, vitória por 2 a 1, no Majestoso.

Você acredita em superstição? Qual uniforme prefere?

APROVEITAMENTO COM FAIXA INVERTIDA – 35%
13 vitórias, 11 empates e 23 derrotas

APROVEITAMENTO COM FAIXA TRADICIONAL – 44%
8 vitórias, 12 empates e 7 derrotas

Comente com seu Facebook