O presidente da Ponte Preta, Marco Antônio Eberlim, conversou com a Rádio Bandeirantes para falar sobre os bastidores do clube em seu primeiro mês de gestão.

O mandatário da Macaca foi questionado sobre a ação dos ex-presidentes Vanderlei Pereira e Sérgio Carnielli. Os dois entraram com ações na Justiça cobrando dívidas do período que contribuíram financeiramente com o clube.

“Se existe a dívida ela será verificada e o clube terá que pagar. Acho um momento inoportuno por conta do momento financeiro da Ponte Preta. É um direito deles de cobrar assim como é um direito do clube verificar se as cobranças procedem”, explicou Eberlim ao microfone da Band.

Apesar da situação delicada do clube, Eberlim explicou que todas contratações que estão sendo realizadas estão dentro de uma realidade financeira da Macaca. O dirigente ainda citou o exemplo do zagueiro Dedé.

“Os atletas que foram contratados estão dentro de uma realidade do clube. Existem muitos jogadores que geram uma preocupação como é o caso do Dedé. Mas só para pegar esse exemplo: Dedé vem recebendo menos do que ganhava o goleiro Ivan. Todas negociações foram administradas desta forma. Temos condições de pagar todos os jogadores que contratamos. Não sofreremos transtornos com isso”, comentou.

Outro ponto que gera preocupação no torcedor pontepretano envolve o pagamento de salários. Após sofrer com muitos atrasos durante a última temporada, Eberlim garantiu que a nova diretoria trabalha para garantir o pagamento dos vencimentos de atletas e funcionários.

“Vou procurar no meu mandato pagar no quinto dia útil todos os funcionários de baixo escalão. Talvez o profissional da bola receba no decorrer do mês quando não for possível pagar no quinto dia útil. Eu projetava receber o clube com apenas um mês de atraso nos salários, mas recebi com dois meses de salários atrasados, além do 13º. Nós pagamos um mês de salários e negociamos os outros dois meses. Isso está sendo protocolado pelo sindicato. Em Jaguariúna também estamos acertando os salários. O torcedor pode ficar tranquilo porque não teremos problemas salarias durante o ano”, encerrou.

Foto de Diego Almeida/Pontepress

Comente com seu Facebook