Artilheiro do século da Ponte Preta, Roger volta ao Moisés Lucarelli neste sábado, mas na condição de adversário.

Vestindo a camisa do Operário, o centroavante admitiu que não pretendia enfrentar a Ponte Preta novamente e o planejamento era de encerrar sua carreira no clube.

“Eu tinha um desejo de encerrar a minha carreira no clube e planejei muito tempo, mas a nossa vida de atleta é assim e mudanças de planos ocorrem de última hora. Não estava mais no planejamento de atleta voltar ao Majestoso como adversário, mas isso acabou acontecendo e preciso manter minha motivação”, explicou Roger em entrevista coletiva.

Roger vai enfrentar a Macaca pela oitava vez na carreira e marcou um gol. Após ter deixado o time campineiro, assinou com o Operário e marcou seu primeiro gol pelo clube paranaense na última rodada da Bezona.

O atacante ainda disse que muitos tentaram apagar sua histórica na Macaca, mas relembrou seu feito de artilheiro no século.

“É uma tristeza de sair como foi, mas posso afirmar que o Moisés Lucarelli é minha casa e ninguém apaga minha história. São muitos jogos e muitos gols sendo o maior artilheiro do século. Minha histórica foi escrita e não foi fácil toda minha trajetória”, completou.

Em relação ao futuro, Roger não faz planos de voltar como jogador da Ponte, mas não descarta outras funções que estejam ligadas ao clube diretamente ou indiretamente.

“Muitas pessoas tentam apagar isso, mas ali é minha casa e uma hora vou voltar. Voltarei como diretor, técnico, empresário ou torcedor como sou. Não tem mágoa nenhuma, mas o desejo de vencer é grande”, finalizou.

Foto de Álvaro Júnior/Pontepress