Ricardinho cai de rendimento, e Eutrópio tem missão de torná-lo eficiente novamente

0
Foto: Letícia Martins - Guarani Press

Ricardinho ganhou status de principal jogador no elenco do Guarani. Depois de fazer uma boa temporada, em 2018, e de ser fundamental para acesso e conquista do título da Série A2, no primeiro semestre do ano passado, o volante também se firmou como uma das principais lideranças dentro do vestiário.

ESPEL ELEVADORES

Mas o rendimento de Ricardinho mudou neste ano. Hoje, o camisa 7 é menos efetivo que o próprio companheiro de posição Deivid.

De acordo com números do Footstats, Ricardinho é superado por Deivid em número de passes certos (112 contra 89), interceptações (3 contra 2)  e desarmes (8 contra 5).

Em 2019, nenhum jogador bugrino esteve em campo mais tempo que Ricardinho. Foram 17 partidas sem ser substituído. Já Diego Cardoso também iniciou 17 partidas, mas tem quase 150 minutos a menos do que o volante devido as alterações.

O problema é que Ricardinho colaborou pouco na construção do jogo ofensivo como ocorreu na temporada passada. Em 2018 foram três gols marcados – inclusive o que deu o acesso na Série A2 -, além de quatro assistências. Já nesta temporada, contando com Paulistão, nenhuma assistência e nenhuma bola na rede.

O atleta chegou a desempenhar com Osmar Loss uma função mais defensiva durante o Estadual, mas a efetividade de Ricardinho também não chamou atenção. A média de desarmes na temporada é de 1.7 por jogo e a quantidade de faltas cometidas aumentou: são cinco no ano.

A titularidade de Ricardinho segue inquestionável no Guarani também pela falta de opções no setor. A diretoria do Bugre negocia a contratação do ex-pontepretano Igor Henrique para atuar ao lado do camisa 7 ou ser um concorrente direto na função. Mas a preocupação do técnico Vinicius Eutrópio é devolver o rendimento de 2018 para Ricardinho voltar a ter participação fundamental e com regularidade nas partidas da equipe.

Comente com seu Facebook