O presidente do Guarani, Ricardo Moisés, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no Brinco de Ouro, para falar sobre a transição da temporada de 2021 para 2022.

O dirigente bugrino lamentou que o acesso não foi alcançado e admitiu que pequenas oscilações da equipe atrapalharam na campanha da competição.

“O acesso escapou por detalhes. Foram alguns erros determinantes em alguns jogos que foram determinantes para não atingirmos nosso objetivo”, explicou Ricardo Moisés.

O presidente do Bugre também admitiu que pretende seguir com o trabalho de Daniel Paulista e o processo de reformulação será tocado pelo departamento de futebol – que seguirá nos mesmos moldes de negociação das últimas temporadas.

“A definição de quem vai sair ou ficar será responsabilidade do departamento de futebol. Vamos seguir nossa filosofia de trabalhar com cautela e sem entrar em leilões. O Guarani vai agir no momento certo”, continuou.

O Portal CB publicou há duas semanas que o lateral Bidu voltou a receber sondagens dos Estados Unidos. Duas equipes que disputam a MLS estão interessadas em contar com o atleta, mas querem um contrato de empréstimo por um valor mais acessível do que a alta multa rescisória.

“O Guarani pode sim fazer alguma negociação com o Bidu ou com outros jogadores da base que estão se destacando como o exemplo do Ludke. O maior valor de mercado destes é o Bidu e ele se valorizou por ter entrado na Seleção da Série B. Dependenmos da venda de atletas para fechar o ano no azul e equilibrar as contas. Nosso objetivo é esse”, completou.

Foto de Thomaz Marostegan/Guarani FC

Comente com seu Facebook