Presidente do Guarani confirma fim do ciclo político em março de 2020: ‘Não pretendo me candidatar a mais nada’

0
Foto: Letícia Martins - Guarani Press

O presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho, vem sendo alvo das principais críticas da torcida do clube pelo desempenho ruim neste início de ano. O Bugre foi eliminado precocemente na Copa do Brasil diante do modesto Avenida – que foi rebaixado no Campeonato Gaúcho -, além de não ter avançado no Campeonato Paulista.

A derrota no dérbi 193 por 3 a 0 potencializou a crise no Brinco de Ouro e gerou a demissão de Osmar Loss, mas as críticas contra o Conselho de Administração aumentaram após o vazamento de que o treinador teria uma multa rescisória na casa dos R$ 700 mil. “Não podemos confirmar valores por questões contratuais, mas vamos arcar com os compromissos acordados com o Loss. Ele vai receber até o final do Campeonato Paulista com a multa”, explicou Palmeron em entrevista à Rádio Bandeirantes de Campinas.

O presidente bugrino foi questionado sobre a possibilidade de reprovação das contas do clube do ano passado na próxima Assembleia de Sócios. “Nós confiamos na aprovação das contas porque elas estão corretas”, reiterou.

Palmeron, entretanto, admitiu que está desgastado e não voltará a pleitear nada na política do Guarani após o encerramento do seu mandato. “Não tenho interesse em me candidatar em mais nada no Guarani. Meu compromisso e dos membros do atual Conselho de Administração é até março de 2020 e depois disso não vou concorrer a mais nada”.

Comente com seu Facebook