Ponte vai “sentir no bolso” torcida única contra Santos

0
Além da queda nas cotas de televisão e patrocínio por causa do rebaixamento no Brasileiro, diretoria da Ponte terá menor renda este ano por causa da pena de torcida única.

Pela primeira vez no ano, a Ponte Preta vai sentir de maneira mais efetiva a pena de torcida única imposta pelo Ministério Público ao clube. O segundo jogo de 2018 no Majestoso será contra o Santos, um dos grande do futebol brasileiro e que sempre registra ótimo número de torcedores quando se apresenta em Campinas.

No ano passado, nas duas oportunidades em que o time da Vila Belmiro veio a Campinas, os cofres pontepretanos registraram mais de R$ 100 mil de arrecadação com a venda dos ingressos.

Nas quartas de final do Paulistão de 2017, a Macaca arrecadou mais de R$ 66 mil com os pouco mais de dois mil ingressos vendidos aos torcedores santistas. Dentro de campo, os alvinegros campineiros venceram o jogo por um a zero.

No último encontro dos dois times no ano passado, pela 27ª rodada da Série A do Brasileiro, no feriado de 12 de outubro, foi registrada uma renda de mais de R$ 42 mil referente às vendas na arquibancada visitante. Na ocasião, os dois times empataram em um a um.

No primeiro jogo em casa em 2018, domingo passado contra o Linense, menos de 3 mil pontepretanos estiveram no Majestoso. E a Ponte teve um lucro líquido de menos de R$ 6 mil. Amanhã, a expectativa é de que o público ultrapasse a marca dos cinco mil pagantes.

Ontem (23/01), o presidente da Ponte, José Armando Abdalla esteve em reunião na Federação Paulista de Futebol. O mandatário tenta reverter a pena de torcida única imposta ao clube, mas para o jogo desta quinta (25/01), a punição continua. Ou seja, os ingressos já estão à venda ao valor de R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia, apenas para quem torce para a Ponte. Os visitantes estão proibidos de entrar, algo que deve diminuir a renda da Macaca amanhã e em todos os jogos de grandes torcidas este ano no Majestoso.