Felipe Amaral, Felipinho e Léo Naldi formaram uma trinca importante no meio-campo da Ponte Preta. Jogadores com passagem pelas categorias de base do clube que se transformaram em peças titulares no profissional,

Amaral e Felipinho foram negociados com América Mineiro e Athletico, respectivamente, mas Léo Naldi não apenas ficou na Macaca, como também perdeu espaço e foi parar no banco de reservas.

Antes visto como o principal candidato para uma negociação valiosa – com direito a equipes como Corinthians, Palmeiras e Botafogo sinalizando interesse -, agora virou uma missão para o técnico João Brigatti.

Após a vitória contra o São Paulo, o comandante pontepretano foi questionado sobre o atleta e revelou uma força-tarefa para recuperá-lo.

”O Léo teve uma queda de rendimento notória, todos viram. A gente conversa diariamente com ele. É um atleta fantástico, uma pessoa maravilha. Falei que jamais desistiria dele, que já mostrou o potencial. Ele teve uma mudança radical nos últimos treinamentos. Temos de deixar as situações negativas para trás e pensar com a cabeça boa. Eu tenho certeza que será um outro Léo Naldi daqui para a frente”, disse.

Foto de Marcos Ribolli/Pontepress