Ponte perde para Vitória e confirma rebaixamento para Série B

0
Em jogo tenso e marcado por confusões, Ponte perde de virada e confirma rebaixamento para Série B. Foto: pontepreta.com.br (Fábio Leoni)

A tarde e noite deste domingo foi de tensão, tristeza a muita confusão no Moisés Lucarelli. Ponte Preta e Vitória se enfrentaram no jogo mais importante da rodada para decidir a parte de baixo da tabela do Brasileirão. E a Macaca começou a partida de maneira surpreendente. Os alvinegros marcavam forte os visitantes e logo aos 6 minutos o placar já estava aberto. Lucca recebe com liberdade, chuta forte, a bola desvia em Geferson e engana o goleiro.

A Ponte seguiu no ataque e menos de dez minutos depois, Léo Artur foi puxado por Wallace dentro da área. Pênalti visto pelo auxiliar na linha de fundo. Danilo Barcelos chutou forte e ampliou a vantagem.

A Macaca seguia tranquila e soberana na partida até os 19 minutos. O zagueiro Rodrigo, fora da jogada, se estranhou com o atacante Trellez e fez uma agressão sem explicação. O quarto árbitro viu e o zagueiro pontepretano foi expulso ainda aos 20 minutos.

No restante do primeiro tempo, a Ponte conseguiu administrar a vantagem. O grande problema foi a etapa final. A equipe voltou do intervalo irreconhecível, errando muitos passes e marcando o adversário praticamente dentro da grande área. André Lima, após escanteio diminuiu a diferença aos 12 minutos. E logo em seguida, Trellez, contando com um desvio de Luan Peres, empatou o jogo.

Os pontepretanos não mostraram reação. Apática em campo, nem as entradas de Renato Cajá e Felipe Saraiva resolveram a falta de ofensividade dos alvinegros. Já o Vitória era soberano, teve pelo menos 4 boas oportunidades e chegou ao gol da virada aos 39 minutos. Danilinho puxou contra ataque e tocou para Trellez faz 3 a 2.

Quando boa parte dos torcedores começava a ir embora, um grupo localizado na parte central da arquibancada, rompeu o alambrado e invadiu o gramado. Todos os jogadores e arbitragem correram para os vestiários, com exceção do goleiro Aranha, que foi cobrado pelos invasores. A Polícia Militar conteve um tumulto maior soltando balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio.

Na tentativa de escapar da confusão, dois jogadores do Vitória (André Lima e Yago) se machucaram.

Quase uma hora depois do início do tumulto, a Polícia informou que não haveria segurança suficiente para terminar o jogo.

Na sala de imprensa pontepretana, o presidente Vanderlei Pereira apenas fez um pronunciamento lamentando os atos de violência, condenando a atitude do zagueiro Rodrigo e não deu mais informações sobre a conduta da diretoria com a confirmação do rebaixamento.

Do lado de fora do Moisés Lucarelli, torcedores continuaram agindo com violência. O estádio teve vidros, grades e portões depredados. Além de ter registro de confrontos entre organizadas de Ponte e Guarani. No saldo, 4 torcedores presos e 3 policiais feridos.

Comente com seu Facebook