Palmeron rebate abaixo-assinado com pedido de renúncia e garante respaldo jurídico por compromissos com a Magnum

0
Foto: Letícia Martins - Guarani Press

por júlio nascimento

ESPEL ELEVADORES

O ambiente político do Guarani está em estado de atenção. Um grupo de torcedores formalizou um abaixo-assinado solicitando aos conselheiros um pedido de impeachment contra o presidente do clube, Palmeron Mendes Filho.

O documento viralizou nas redes sociais e foi compartilhado por figuras como o ex-presidente Horley Senna. No entanto, em contato com a reportagem, Senna negou que apoie o impeachment. “Sou contra essa sangria desatada da terceirização no meio do campeonato. Eu sou a favor de mudar o Guarani sem atropelos, falcatruas, reativação de sócio em troca de apoio”, esclareceu.

O abaixo-assinado não é um pedido oficial, mas virtual e também uma convocação para os torcedores comuns e organizados para um protesto pacifico no Brinco de Ouro na próxima semana, durante reunião do Conselho Deliberativo.

“Você que realmente quer o melhor para o Guarani e não mede esforços (…) está convocado para participar de um protesto na frente à entrada principal do Brinco de Ouro no dia 30/10”, cita o edital, que promete cobranças severas ao empresário Roberto Graziano. “O momento é de união e contamos também com a presença de todas as torcidas organizadas”, reitera.

O documento também faz críticas aos membros do Conselho de Administração.

“Em função da falta de transparência do presidente Palmeron Mendes Filho, sua interferência negativa e outros pontos mais, também pediremos sua renúncia (…) como as saídas do seu vice Assis Eurípedes e do senhor Anailson Neves”, completam.

Em contato com a reportagem do Portal CB, o presidente Palmeron rebateu o abaixo-assinado e garantiu ter respaldo jurídico para todas questões escritas no edital. “Recebemos com o maior respeito possível, pois o direito de manifestação engrandece a democracia. Infelizmente não sabemos a origem, pois os responsáveis não tiveram a lisura de se identificar”, disse o dirigente.

“Temos total segurança jurídica que todas as obrigações assumidas perante a Justiça do Trabalho serão honradas pela empresa Magnum. Inclusive, já fomos comunicados que nas próximas semanas teremos novas audiências neste sentido”, completou Palmeron.

Na próxima semana, o Conselho Deliberativo vai debater as propostas da Magnum (terça-feira) e Elenko Sports (quarta-feira) com direito a sabatina dos conselheiros.

 

 

Comente com seu Facebook