Novos técnicos, rendimento abaixo e busca por premiação: Ponte e Vila Nova vivem situações semelhantes em 2020

0
Foto: Vilson Smanhoto - reprodução Band

Sem espaços para zebra na primeira fase da Copa do Brasil deste ano, Ponte Preta e VIla Nova cumpriram seus papéis e avançaram na competição, mas ainda não evitaram um início de temporada turbulento.

Apesar da classificação no torneio nacional, Ponte e Vila estão com dificuldades na disputa das competições estaduais. Tanto que o encontro da quinta-feira reserva a estreia de dois treinadores.

Na Macaca o estreante será João Brigatti. Ou melhor: reestreante. O ex-goleiro foi anunciado na última quarta-feira como substituto de Gilson Kleina, demitido com 37% de aproveitamento, para sequência da temporada 2020.

No último final de semana, Brigatti acompanhou o empate da Ponte preta com a Ferroviária em um dos camarotes do Moisés Lucarelli e iniciou nesta segunda-feira efetivamente seu trabalho como treinador do clube.

No Campeonato Paulista, a Ponte ocupa terceira colocação do Grupo A com sete pontos e na classificação geral está na 12⁰ posição, bem próxima da zona de rebaixamento. Em sete jogos foram duas vitórias, um empate e quatro derrotas com aproveitamento de 33,3% dos pontos disputados.

Já no Vila Nova também houve troca no comando técnico. Ariel Mamede foi contratado para reformular o elenco após o rebaixamento para a Série C, mas não resistiu a falta de resultados e a derrota para Anápolis pelo Campeonato Goiano.

O ex-zagueiro Bolívar foi anunciado pelo departamento de futebol do clube goiano e também vai estrear na Copa do Brasil no jogo contra a Ponte.

O Tigre ocupa a oitava colocação na classificação geral do campeonato estadual. Em sete jogos foram duas vitórias, duas derrotas e três derrotas com aproveitamento de 38%.

A partida de quinta-feira vale R$ 1,5 milhão. Uma premiação alta para dois times que ainda buscam fôlego financeiro. A Macaca quer reforçar o caixa para também encorpar o elenco que vai jogar a sequência do Paulistão e a Série B do Campeonato Brasileiro.

Já o Vila Nova teve uma redução drástica no orçamento após o rebaixamento para a terceira divisão do futebol nacional e enxerga na Copa do Brasil sua principal fonte de recursos para formar um time capacitado de brigar pelo acesso e voltar à Série B.

Comente com seu Facebook