Nenê Zini explica ideias para cogestão e quer manter autonomia do Guarani: ‘Respeitamos a história’

0

por júlio nascimento

Os sócios do Guarani se reúnem no próximo dia 13 para decidir o futuro do Departamento de Futebol e da área administrativa. Com a esperança de que o clube volte a ter estabilidade no seu posto mais alto, os bugrinos vão escolher entre a gestão compartilhada – com dois grupos concorrentes-, ou permanência do Conselho de Administração como único gestor no Brinco de Ouro.

A primeira proposta oficializada foi dos empresários Roberto Graziano, da Magnum, e Felício Braganta, da ASA Alumínios. O outro grupo é formado pelo empresário Nenê Zini, que coordena um pool com apoio da Elenko Sports, DK (Dunkirk) e Traffic. Em conversa exclusiva com o Portal CB, Zini explicou as ideias para a cogestão e admitiu que a proposta ainda está sendo ajustada.

O empresário confirmou que pretende realizar uma divisão do que for arrecadado pelo Departamento de Futebol. Na ideia inicial do grupo, 70% da verba será destinada aos gestores e 30% ficará com o Guarani. “Ainda estamos oficializando a proposta e estudando os termos. Dentro da ideia inicial, a divisão será essa”, explicou.

O grupo intermediado por Nenê Zini pretende assumir a gestão apenas do futebol profissional e amador. “Pretendemos mexer só com o futebol. O Guarani tem autonomia e riqueza para administrar e cuidar do social”, reiterou. Alias, autonomia foi o termo utilizado para explicar a hierarquia das decisões na gestão compartilhada. “O Conselho de Administração terá o poder de veto. Os gestores decidem 50% e o clube também. Respeitamos a história do Guarani”, disse o empresário.

Inicialmente, os empresários não trabalham com números e valores sobre um aporte extra para o futebol do clube. Zini, entretanto, garantiu que todas questões serão debatidas se o grupo for escolhido. “Faremos todo aporte financeiro necessário”, se limitou.

Se o grupo for o escolhido pelos sócios no dia 13 de agosto, o futebol não deve sofrer mudanças quanto ao quadro de funcionários. “Eu confio em todos e são extremamente competentes. O Umberto é um treinador de raro talento e continuará se desenvolvendo. O Luciano também é uma pessoa séria e competente. O futebol tem tido um grupo sério e está colhendo os frutos”, relatou Zini.

 

Zini alertou para o pouco tempo de discussão das ideias, mas demonstrou confiança. “Sabemos o momento que o Guarani vive, mas gostaríamos de ter mais tempo para discussão e desenvolvimento das propostas”. As propostas dos grupos passarão por uma análise de uma junta jurídica e, depois, serão submetidas a avaliação do Conselho Deliberativo. A Assembleia de Sócios, dia 13, decidirá se a gestão compartilhada terá início e quais gestores tomarão posse do Departamento de Futebol.

 

Comente com seu Facebook