Negociação de Emerson, contratações e limite financeiro. As palavras do presidente da Ponte após o Troféu do Interior

0

Terminado o Torneio do Interior, a Ponte Preta volta integralmente às atenções para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, que começa para a Macaca no próximo dia 14 de abril contra o Paysandu no estádio Moisés Lucarelli com os portões fechados ao torcedor.

Ainda no gramado do Majestoso, comemorando o Troféu do Interior, o presidente do clube, José Armando Abdalla, falou com os jornalistas e deu pistas sobre o planejamento para o restante do ano.

Abdalla reforçou que o atual elenco deve ser reformulado: “muitos deverão ficar. Outros nós vamos analisar saber se ficam ou não e com certeza novos jogadores vão chegar”.

Os primeiros a irem embora devem ser o lateral/volante Jeferson que deve ser negociado com o Vitória da Bahia. Nesta terça (03/04) pela manhã, o jogador esteve nos vestiários do Majestoso. Um sinal de despedida do atleta revelado pela Macaca.

Quem também passou pelo Moisés Lucarelli esta manhã foi o atacante Silvinho. O jogador deve se transferir para o Paraná Clube e disputar a Série A do Brasileiro.

O lateral-direito Emerson também foi pauta da entrevista do presidente alvinegro: “O Emerson, a Ponte Preta por enquanto. Enquanto não tiver uma proposta bem adequeda”. Mas o mandatário confirmou que o Atlético Mineiro fez proposta pelo jogador. A tendência é que ele deixe Campinas rumo à Belo Horizonte, principalmente pela necessidade do clube fazer um caixa extra para aumentar o poder financeiro: “A Ponte vai ter que dispor de algum jogador do elenco para fazer caixa (…) é uma proposta boa, mas nós estamos aguardando o desenrolar desta venda, se for o caso”.

Outro destaque da campanha da Macaca, o zagueiro Luan
Peres, também está fora dos planos alvinegros: “tá muito difícil a renovação, uma concorrência de clubes da Série A. Nós são sabemos quem, mas o Luan Peres tem contrato até 30 de maio”.

Por outro lado, os dirigentes pontepretanos buscam reforços. “A Ponte agora tá em busca de atacantes de beirada, lateral-esquerdo também é uma coisa rara no futebol brasileiro, estamos procurando também. A hora que chegar pelo menos mais 2 ou 3 atacante e um lateral, nós vamos pensar em 3 peças centrais com características de série B, um atrás, um no meio e outro à frente para dar o equilíbrio para a garotada”.

Além disso, José Armando Abdalla negou a chegada de reforços de peso, com salário acima do teto e da política financeira do clube. “O perfil da Ponte é de jogsadores jovens, que tenham idade não muito alta, que tenham saúde e velocidade”.