O técnico Gilson Kleina vive momento delicado no comando da Ponte Preta na Série B.

A equipe tem nove pontos após 13 rodadas na competição e está na vice-lanterna.

Sob o comando de Kleina foi somada apenas uma vitória, diante do CSA, no Moisés Lucarelli. Insuficiente para diminuir o nível de pressão interno e externa ao trabalho da comissão técnica.

“Eu não vou jogar a toalha e não vou abaixar a cabeça. Sou vencedor no futebol, nunca passei por uma situação como essa na Ponte Preta e estou sofrendo. Mas vamos sair dessa juntos. Eu também estou sentindo muito. Eu também quero a vitória para o torcedor e para a minha família. Mas o meu pensamento agora é focado em como dar a volta por cima”, disse Kleina em entrevista coletiva.

Após a derrota para o Vitória em Salvador, Kleina reforçou que vai trabalhar para reorganizar a equipe e mobilizar os jogadores para o compromisso seguinte na competição.

“Precisamos unir, trazer energia positiva e fazer um vestiário forte de novo. Temos um elenco bom, se precisar qualificar vamos trabalhar no mercado, mas precisamos da vitória para começar a construir uma sequência positiva. Não adianta desesperar. É hora de organizar, motivar bem a nossa equipe e mobilizar os jogadores para sexta-feira”, continuou.

O próximo compromisso será diante do Goiás, na sexta-feira, em Campinas.

“Estamos em uma situação difícil, vamos enfrentar um Goiás confiante, mas dentro de casa vamos precisar unir todas nossas forças e peças que temos para conseguir um resultado positivo. Sexta-feira é dia de fazer a bola entrar. Estamos criando, não está faltando trabalho e todo mundo está se doando para tirar a Ponte Preta dessa situação”, completou.

Foto de Pontepress

Comente com seu Facebook