Na reapresentação da Ponte, diretoria repudia atos de violência

0
Presidente da Ponte afirma que clube vai responsabilizar torcedores por confusão

A reapresentação do elenco pontepretano teve a presença de toda a cúpula alvinegra. Além do presidente Vanderlei Pereira, o vice, Giovanni Dimarzio, o diretor de Futebol Hélio Kazuo e os advogados Gustavo Valio e Giuliano Guerreiro conversaram com a imprensa e com todo o elenco. A pauta foram os acontecimentos que começaram no final da tarde de segunda e terminaram na delegacia. Um grupo de torcedores fizeram agressões e ameaças à delegação no desembarque de Chapecó.

O primeiro a falar com a imprensa foi o presidente do clube, Vanderlei Pereira, que repudiou os atos, disse que este grupo não representa a torcida pontepretana e que o clube vai prestar apoio a todo o elenco. Além disso, o presidente pediu apoio das arquibancadas no jogo da próxima segunda contra o Flamengo e pensa e fazer uma nova promoção no valor dos ingressos.

O advogado Giuliano Guerreiro falou sobre os aspectos jurídicos do acontecido. Disse que a Ponte, juntamente com a Polícia Militar, vai identificar os envolvidos e cobrar judicialmente os torcedores. O para-brisa do ônibus pontepretano foi quebrado e o custo de 4 mil reais pelo conserto será cobrado do torcedor que pode ser identificado por meio das imagens.

Quem também fez questão de falar com os jornalistas foi o técnico Eduardo Baptista que pediu um basta em ações como a que aconteceu na segunda no aeroporto e disse que este tipo de confusão não pode ser considerada normal. “Nós vivemos num período de degradação da raça humana. De repente, sentir medo é algo anormal. Quem estava ali e não sentiu medo?”, afirmou o treinador que também reforçou a importância de uma semana cheia para conhecer melhor os atletas e buscar a reação no brasileirão. Sem vencer há quatro jogos no nacional, a Ponte está na zona de rebaixamento, na décima oitava posição.