Após a partida contra o Grêmio, o técnico Daniel Paulista enfatizou que o Guarani precisaria melhorar o poder de decisão. O adversário da última rodada foi fatal e marcou com Diego Souza em todas boas oportunidades criadas.

O problema no Bugre tem sido a falta de efetividade, mas o volume está presente. De acordo com dados do Footstats, o time campineiro é o que mais finaliza em direção ao gol dos adversários.

Em três jogos foram 21 finalizações certas contra 18 do Londrina e 16 do Grêmio, os times que vem na sequência. Dos 40 chutes realizados pela equipe neste começo de competição, foram 19 para fora.

O Bugre também é o segundo time que mais trocou passes na competição e tem índice de acerto de 90%. São pelo menos cinco passes-chave por partida que criaram boas oportunidades no ataque, mas em lances que não foram aproveitados e convertidos em gol.

O Guarani divide o posto de pior ataque com outros quatro times: Ponte Preta, CRB, CSA e Novorizontino – todos que marcaram apenas uma vez.

O ataque também está em baixa porque um atacante não marca desde a partida contra a Ferroviária no Paulistão. Na ocasião, Ronald deixou sua marca registrada. Desde então atuações sem bola na rede de Júlio César, Lucão do Break, Nicolas Careca, Bruno José e os demais atacantes.

O único gol marcado pelo Bugre até o momento foi de Matheus Pereira contra o Grêmio.

Foto de Thomaz Marostegan/Guarani FC

Comente com seu Facebook