“Momento de preservar a saúde”, diz André Heller sobre adiamento dos Jogos Olímpicos e suspensão da Superliga Masculina

0
Foto: Divulgação

O campeão olímpico e coordenador técnico do Vôlei Renata, André Heller, conversou com a Rádio Bandeirantes para falar sobre o momento vivenciado no voleibol com a pandemia do novo coronavírus.

Heller comentou sobre a decisão do Comitê Olímpico Internacional de adiar os Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021 e diz não ter sido pego de surpresa com a notícia. “Acho que era uma decisão que já estava tomada há mais tempo. Nós trabalhamos com esse ambiente e sentimos muito nestes momentos, mas no momento a nossa prioridade é proteger a saúde das pessoas. O COI e o governo japonês tomaram uma decisão muito equilibrada”, disse.

Campeão olímpico em Atenas 2004, Heller se isentou de comentar como fica a cabeça dos atletas que estavam com a vaga garantida no Japão, mas reiterou que o momento é de priorizar a saúde dos atletas e de todas as pessoas envolvidas direta ou indiretamente com o evento.

“Estamos experimentando um cenário nunca antes vivido. Nunca passamos como sociedade por um cenário trágico como os tempos atuais. São muitas vidas sendo perdidas e, por isso, cada atleta considera também o que está acontecendo. Muitos se prepararam, mas existe a consciência de entender o risco que seria participar de uma competição que reúne mais de 200 nações. A prioridade não poderia ser outra se não preservar nossa saúde”, completou.

Coordenador técnico e embaixador do Vôlei Renata, o dirigente confirmou que o time campineiro liderou a opção pela suspensão por tempo indeterminado da Superliga Masculina e não pelo cancelamento da competição. A equipe ocupa a quinta colocação com 38 pontos e estava com vaga garantida aos playoffs.

“A Superliga Feminina decidiu pelo encerramento total do campeonato enquanto a Superliga Masculina optou pela suspensão por tempo indeterminado por entender que não há como tomar uma decisão neste momento. Temos o poder de esperar e não precisamos tomar uma atitude de encerrar. Não estamos falando apenas dos atletas, mas existem outros profissionais envolvidos e que também precisam deste emprego, além da relação com fornecedores e público. E por que não aguardar? A gente tem essa possibilidade”, encerrou.

A próxima reunião para discutir sobre um possível retorno da Superliga Masculina será realizado no dia 20 de abril.

Comente com seu Facebook