Executivo do Guarani credita sucesso por trabalho em grupo e nega especialidade em montar times com recursos limitados

0
Foto: David Oliveira/Guarani FC

O executivo de futebol do Guarani, Michel Alves, foi peça fundamental na montagem do elenco que faz boa campanha no Campeonato Paulista. O ex-goleiro havia feito um trabalho que chamou atenção no Cuiabá montando um elenco com recursos limitados e foi convidado para executar o mesmo no Brinco de Ouro.

Mesmo com efetividade no trabalho até o momento, Michel Alves não gosta de ser rotulado como especialista neste tipo de tarefa. “Eu acho que o todo do Guarani teve capacidade e competência. O mérito é dos atletas, que tiveram competência dentro do campo de entender o modelo e a forma de a comissão trabalhar junto com o Carpini e deram resultados. Isso também não muda nada. Nós buscávamos e trabalhamos para isso”, explicou em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Alves explicou que buscou um grupo de jogadores que se adequasse ao estilo de Thiago Carpini, haja vista diretoria ter optado pela manutenção de um trabalho que começou a ser desenvolvido durante o segundo turno da Série B.

“Quando você tem um número para contratar e montar um elenco, você tem uma referência. Então você tem uma referência do que pode e do que não pode. Às vezes, aquele jogador que te oferece você acha que vai te dar uma condição, mas ele tem um custo alto. Então eu não posso, daqui a pouco abrir mão de fazer um ou dois negócios para trazer um atleta que pode onerar a minha folha. Então foi este o cuidado”, ressaltou.

Michel Alves e a diretoria do Guarani ainda aguardam um posicionamento da Federação Paulista de Futebol sobre a sequência da temporada. O departamento de futebol também monitora a situação de jogadores que têm contrato até o dia 30 de abril – casos de Jefferson Paulino, Bruno Silva, Thallyson, Todinho e outros.

“A gente tem interesse em todos os jogadores, mas seria muito prematuro da minha parte falar esse ou aquele. Falar que esse fica e esse não fica, até porque esse é um momento de muita incerteza”, disse Alves. “Nós aguardamos tanto da CBF quanto da Federação (Paulista) um posicionamento dentro dessa conversa que está tendo com esse núcleo de presidentes para a gente definir que caminho a se fazer. Penso eu que, neste momento, seria precipitado fazer qualquer colocação”, encerrou.

Comente com seu Facebook