Liminar suspende eleição do Conselho Deliberativo do Guarani

0

Uma liminar publicada no início da tarde desta sexta-feira suspendeu a realização das eleições para o quadro do Conselho Deliebrativo do Guarani. O pleito estava previsto para ser realizado na próxima segunda-feira. O motivo seria a constatação de irregularidades no cumprimento do estatuto social do clube. A liminar foi solicitada por integrantes da chapa “Nova Jornada”, liderada pelo presidente Palmeron Mendes Filho.

ESPEL ELEVADORES

O Guarani tem 15 dias para contestar a decisão da Justiça. Caso a votação não seja suspensa, o clube pode ser multado em R$ 2 mil por dia, limitado a R$ 50 mil. Em contato com a reportagem, a assessoria do Bugre disse que foi avisado a respeito da decisão judicial, embora não tenha sido notificado oficialmente a respeito da liminar.

O documento, assinado pelo juiz José Miguel Garcia Medina, solicita a suspensão do pleito por entender que o estatuto do clube não foi cumprido e exige que “um novo edital de convocação dos associados seja realizado para estabelecimento dos cronogramas e ritos das eleições, que deve ocorrer somente após a publicação do edital supra mencionado”.

O líder da chapa Renova Guarani, Marcelo Galli, lamentou a decisão em contato com o Portal CB. “Lamentamos que mais uma eleição do Guarani tenha que ser judicializada, mas estamos tranquilos que fizemos nosso papel, montamos nossa chapa dentro do prazo e esperamos que os associados percebam que somos a melhor opção. Seguimos trabalhando para que conheçam nossos ideias e encontrem no Renova seus melhores representantes”, disse.

Já o ex-presidente do clube Horley Senna, integrante da chapa Hoje e Sempre Guarani, afirmou ter sido pego de surpresa com a liminar. “Surpreso (com a decisão), porém o grupo está analisando a situação”, disse.

Comente com seu Facebook