Giovanni Augusto foi anunciado como o principal nome da pré-temporada do Guarani.

Após duas passagens pelo futebol mexicano, o meia está de volta ao Brasil e assinou contrato com o Bugre até o final do Paulistão – com opção de renovação até dezembro.

A reportagem do Portal CB e Rádio Bandeirantes conversou com o jornalista Pedro Melo, do Paraná Portal, para relembrar a boa passagem do atleta vestindo a camisa do Coritiba em 2020.

Após oscilações em Corinthians, Vasco da Gama e Goiás, Giovanni Augusto se reencontrou no Coritiba: foram 25 jogos, 4 gols e 7 assistências.

ASCENSÃO NO BRASILEIRÃO
Pedro Melo conta que Giovanni Augusto cresceu de rendimento no Coxa a partir do Campeonato Brasileiro em 2020. O atleta se transformou no principal garçom da equipe, mas não participou da reta final da competição que terminou com o rebaixamento para Série B.

“Ele foi o principal jogador no Coritiba no Brasileirão. Foram quatro gols e cinco assistências em 20 jogos. O Coritiba teve uma reta final muito ruim. É possível afirmar que o time com Giovanni Augusto era muito mais forte, principalmente na armação”, explicou o jornalista.

VERSATILIDADE
“O que vimos no Coritiba foi um camisa 10, articulador de jogadas e que deixava os companheiros na cara do gol. Mas também vimos Giovanni Augusto marcando, pisando na área e sendo uma surpresa no campo do adversário”, explicou Pedro.

A fase mais goleadora de Giovanni Augusto foi no Figueirense. Na ocasião marcou sete gols em 36 jogos. Um dos gols marcados foi na inauguração da Arena Corinthians, em 2014, quando chamou atenção do próprio Timão que viria a contratá-lo posteriormente.

VOLTA COGITADA
O nome de Giovanni Augusto foi ventilado no Couto Pereira antes da equipe paranaense fechar com Régis, ex-Guarani. Após a concorrência diminuir, o Bugre ficou com o caminho livre para fechar com o meia com contrato até o final do Estadual e opção de renovação.

Comente com seu Facebook