Guarani tenta quebrar tabu de 44 anos contra o Paysandu em Belém

0

por júlio nascimento

O Guarani visita o Paysandu nesta terça-feira, no Gigante da Curuzu, pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O Bugre, que vem de derrota para o Figueirense na última rodada, tenta se reaproximar do G4 e precisará quebrar um grande tabu diante dos paraenses.

A equipe campineira não faz três pontos em Belém do Pará desde 1974. Foram nove jogos com duas vitórias, dois empates e cinco derrotas. Os únicos triunfos foram na década de 70.

A rivalidade se acirrou a partir da Série B de 1991 e desde então o Papão não foi derrotado em casa. No ano passado, no segundo turno da Série B, vitória por 2 a 1.

Os jogos no Brinco, entretanto, equilibram o retrospecto. O Guarani nunca perdeu para o Paysandu jogando em casa. Ao todo, entre jogos como mandante e visitante, são 17 partidas com sete vitórias bugrinas, cinco empates e cinco derrotas.

A CONFUSÃO EM 1991…

No dia 26 de maio de 1991, o Paysandu recebeu o Guarani pela segunda partida da final da Série B do Campeonato Brasileiro e precisando reverter a vantagem do Bugre, que havia vencido o primeiro jogo por 1 a 0, em Campinas.

O Estádio Mangueirão recebia 40 mil pessoas nas arquibancadas que presenciaram um jogo maluco. Cacaio marcou o primeiro gol do jogo para o Paysandu e ampliou com Dadinho. O problema é que cinco jogadores do Guarani foram expulsos após o gol e o árbitro optou por encerrar a partida e declarar o Papão como campeão.

Todos se revoltaram com o baiano Manoel Serapião Filho, pois ainda havia 10 minutos de jogo e o Guarani precisava de mais um gol. Foram expulsos Biro-Biro, Vonei, Julimar, Valmir, Jura e Zé Roberto. O Bugre era comandado por Pepe.