Guarani se habitua a trocar escalação e completa dois meses sem repetir equipe

0
Foto: Letícia Martins/Guarani Press

Há dois meses, o Guarani não consegue repetir a equipe. Com o desfalque de Ricardinho, fora do duelo contra o São Bento na quinta-feira por conta de um terceiro cartão amarelo, o clube completa 64 dias sem colocar os mesmos 11 jogadores em duas partidas seguidas.

Umebrto Louzer, como de praxe, revelou dúvida sobre o substituto do atleta, mas a tendência é que Denner seja recuado para a posição, com Rondinelly no meio-campo ou Anselmo Ramon no ataque ado lado de Bruno Mendes.

Na Série B do Campeonato Brasileiro, o Guarani entrou em campo em 10 oportunidades. Até o momento, 23 jogadores receberam pelo menos uma chance. Quem mais atuou foi a dupla Bruno Brígido e Ricardinho, com 10 participações. Essa situação, todavia, não chega a surpreender. Pelo contrário. Virou rotina a mudança constante no clube.

Na última vez que a escalação bugrina foi mantida em duas partidas consecutivas ocorreu na Série A2 do Campeonato Paulista. Na ocasião, nos dias 4 e 7 de junho, superou XV de Piracicaba e Oeste, confirmando o acesso e o título da competição. A formação teve: Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Lombardi e Marcílio; Baraka e Ricardinho; Bruno Nazário, Rondinelly e Erik; Bruno Mendes.

Desde então, o Bugre disputou exatas 10 partidas. Em nenhuma das oportunidades, seja por mudanças corriqueiras, suspensões, lesões ou opções técnicas, o Guarani jamais mandou a campo a mesma nominata em sequência.

Comente com seu Facebook