O Guarani confirmou nesta quinta-feira, em nota divulgada à imprensa, a decisão da juiza Camila Ximenes Coimbra, da 11ª Vara do Trabalho de Campinas, sobre o processo envolvendo o lateral Lenon.

No ano passado, cobrando a falta de pagamentos, o atleta entrou com processo no valor de R$ 944 mil, mas o pedido inicial acabou sendo negado pela Justiça.

O Bugre comemorou a adequação nos valores do processo. O clube será que arcar com aproximadamente R$ 2 mil como custos do processo, além do cálculo de condenação de R$ 100 mil – valor bem abaixo do cobrado inicialmente.

A Justiça condenou o Bugre pela falta de pagamento dos salários de três meses em 2019, além de três parcelas do pagamento do 13º, três parcelas do pagamento das férias e falta de recolhimento do FGTS. O clube ainda foi multado nos artigos 467 e 477 da CLT.

Por outro lado, atendendo recurso do Guarani, a Justiça também pediu a separação dos vínculos entre o clube campineiro do período em que Lenon foi emprestado ao Vasco da Gama e também sofreu com salários atrasados. O pedido de indenização sobre direitos de imagem também foi negado.

CONFIRA A NOTA DO CLUBE:

Como foi de ampla divulgação à época do conhecimento da ação, o Guarani FC traz o andamento do processo trabalhista movido pelo lateral direito Lenon, ex atleta do clube. O pedido, originalmente lançado em R$ 944.873,67, teve, conforme manifestação da Juíza do Trabalho Camila Ximenes Coimbra, na data de 13/04, julgamento dentro da realidade dos fatos e dos valores devidos pelo Clube. O Guarani FC ressalta o excelente trabalho realizado pelo seu Depto. Jurídico nesta representado pelo Dr. Rodolfo Ventanilha Devisate, e de todos os seus profissionais, em todas as demandas, por mais está importante decisão

Comente com seu Facebook