Exclusivo! Juíza do Trabalho esclarece pontos importantes do leilão do Brinco de Ouro

0

A juíza da 15ª região do Tribunal Regional do Trabalho, Ana Cláudia Torres Vianna, concedeu entrevista exclusiva ao Bandeirantes Esportiva da Rádio Bandeirantes Am 1170 nesta quinta-feira (12/07) para tranquilizar os torcedores do Guarani quanto ao processo que envolve a negociação do Brinco de Ouro com o Grupo Magnum do empresário Roberto Graziano.

De acordo com a magistrada, o processo segue o curso normal, inclusive em fase final das negociações das dívidas trabalhistas, que devem levar pelo menos mais 6 meses para serem sanadas. Lembrando que toda a negociação começou em 2015.

Ana Cláudia Torres Vianna confirmou que não há problema algum no fato da Magnum não estar pagando desde maio os 350 mil reais mensais acordados ao Guarani. Isto se deve porque o clube adiantou a verba em 2016, quando a clube garantiu o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro.

A magistrada também afirmou que o processo chegou a um momento importante porque no último dia 27 a Maxion teve o último recurso negado no Tribunal Superior do Trabalho. A empresa havia arrematado o Brinco de Ouro em um leilão em 2015 por 105 milhões de reais, mas a justiça entendeu que a cifra oferecida não era compatível com o valor de mercado do imóvel e cancelou a compra da Maxion, que recorreu até a última instância e não conseguiu ter sucesso. O fato deixa o caminho livre para a Magnum, a Justiça Trabalhista e o Guarani continuarem com os planos traçados.

A carta de alienação a favor da Magnum já foi emitida, mas a carta de posse está condicionada a outra etapa do processo: as construções de uma Arena e de um CT para o clube. A juíza propõe que seja feita uma comissão para acompanhar e fiscalizar todo o processo de procura e compra de terreno e construções do novo patrimônio alviverde.

A juíza afirmou ainda que acompanha mês a mês toda a folha de pagamento do Guarani. Ela acredita que será necessário pelo menos mais 6 meses para que as dívidas do Guarani estejam totalmente quitadas. Além disso, ela prevê um ano e meio de prazo para que a Maxion conclua as obras de estádio e um centro de treinamento. Ou seja, em 2 anos, ou pouco mais, o bugre deve ter uma nova casa e todas as dívidas quitadas. O empresário Roberto Graziano prevê que em 3 anos pode tomar posse do Brinco de Ouro.

Confira a entrevista na íntegra a seguir: