O presidente do Conselho Deliberativo do Guarani e integrante da Comissão Imobiliária, Marcelo Galli, concedeu entrevista à Rádio Bandeirantes de Campinas nesta terça-feira para falar sobre o projeto da Arena Guarani.

Ao lado do presidente bugrino Ricardo Moisés e outros membros da diretoria, Galli apresentou o planejamento que prevê a construção do novo estádio na Rodovia dos Bandeirantes. O local pertence ao Guarani.

“Fizemos um encontro para o parceiro apresentar o projeto que tem para este terreno da Bandeirantes. Os sócios puderam tirar suas dúvidas iniciais, fizeram questionamentos e agora vamos retornar no dia 30 para conversar com o arquiteto contratado pelo parceiro”, explicou Marcelo Galli ao programa Nossa Área.

O projeto envolve a construção de uma Arena em uma área de 150 mil metros quadrados com capacidade para no mínimo 12 mil lugares, estacionamento anexado, centro de treinamento e clube social. Galli explicou na Bandeirantes que o foco é aumentar a capacidade do estádio para 25 mil espectadores.

“O parceiro tem uma obrigação de entregar um estádio para 12 mil lugares nos padrões da Fonte Luminosa de Araraquara. Mas a nossa intenção é fazer uma Arena ampliando a capacidade para 25 mil pessoas. Queremos um padrão superior. Teremos uma economia a opção for pela área da Bandeirantes porque o terreno é do Guarani. Essa economia seria investida dentro do próprio projeto”, explicou.

O primeiro encontro foi para apresentação do projeto e uma nova reunião está marcada o dia 30, além da assembleia geral de sócios no dia 15 de setembro, decisiva para saber se o terreno do clube será mesmo utilizado para o projeto.

“Estou bastante otimista, mas é importante alinhar as expectativas e entender que o projeto ainda está nos primeiros passos. Os próximos encontros serão importantes para aprovar onde a Arena será construída e a partir disso apresentar o projeto na Prefeitura. A partir disso teremos um projeto final. Mas o momento ainda é inicial”, completou.

Vale lembrar que, conforme previsto judicialmente, o Brinco de Ouro será desocupado apenas quando todas obras forem finalizadas. A empresa que adquiriu a atual localização do estádio bugrino ainda estuda qual será o projeto. A construção de um hotel, shopping ou hospital já foram debatidas.

Comente com seu Facebook