A pandemia do novo coronavírus afetou todo o calendário esportivo no Brasil. No futebol profissional, as competições foram suspensas e ainda sem previsão de retorno. Já nas categorias de base o problema parece ser muito maior, já que alguns campeonatos foram cancelados e com incertezas sobre a realização dos torneios no estado de São Paulo.

Na Ponte Preta, os jogadores da base também estão em quarentena, mas seguindo recomendações para o treinamento físico. Mesmo sem as competições oficias da FPF, a Macaca deve participar de torneios paralelos para manter a base ativa.

“Infelizmente estamos com muitas incertezas. A Federação está excluindo os campeonatos de todas as categorias do Campeonato Paulista. Agente sabe que pode acontecer alguns torneios de ligas independentes. Então as comissões estão em contato já que acabaram as férias e as comissões tem a orientações de manter os atletas da base fazendo um trabalho físico”, explicou Fábio Abdalla em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O diretor de base da Macaca garantiu que ainda aguarda novas atualizações das autoridades estaduais para reprogramar o ano dos jovens atletas. “A gente está esperando na verdade dados mais concretos em relação a essa doença para que se a gente observar que possa ter uma regressão em breve a gente intensificar esses trabalhos”, completou.

Segundo a previsão orçamentária apresentada para o ano de 2020, as despesas com a base superam os R$4 milhões, terceira maior despesa da Ponte Preta. Por outro lado, a base nos últimos anos também ajudou a Alvinegra financeiramente com a venda de jogadores como Emerson, Abner, Xavier e Camilo.

Outro objetivo da atual diretoria que pode influenciar diretamente na base é a construção de um Centro de Treinamentos. O presidente Sebastião Arcanjo afirmou no incio do seu mandato que algumas áreas estavam sendo estudadas para a construção da nova estrutura.

Para Abdalla, a realização do projeto mudaria o clube de patamar. “A gente quando assumiu precisou cuidar de muitos problemas com inúmeras dificuldades financeiras pagando contas atrasadas, mas como todo clube inclusive de Série A. Superando toda essa fase é um projeto sim, mas um projeto bem mais real do que se parece. Falando como diretor,mas também como torcedor seria o meu objetivo principal dentro do clube hoje era conseguir esse CT porque o clube muda de patamar”.

Reportagem de Antonio Luppi | Foto de Pontepress

Comente com seu Facebook