“O trabalho mais difícil da carreira”.

Foi assim que Hélio dos Anjos definiu a situação da Ponte Preta na Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe está na 18ª colocação com 15 pontos e segue na zona de rebaixamento.

“A Ponte Preta está conseguindo ficar do jeito que gostaríamos somente agora. Estamos conseguindo eliminar jogadores, enxugar o elenco e buscando jogadores do nosso perfil. As contratações serão importante justamente para qualificar o elenco para sequência”, continuou o treinador.

Hélio também desabafou sobre a dificuldade em qualificar o elenco por conta do relacionamento com os empresários no mercado – algo comentado por Marco Antônio Eberlin em entrevista recente à Rádio Bandeirantes.

“Um empresário ofereceu um jogador que está na Série A e nós tínhamos interesse, mas ofereceu mais dois jogadores. Virou moda achar que a Ponte Preta vai aceitar essas condições novamente. Nossa diretoria está lutando muito contra isso”, comentou.

A Macaca encerra o primeiro turno enfrentando CSA (fora de casa), Criciúma (fora de casa) e Náutico (em casa). A ideia é somar pelo menos 20 pontos até a virada do turno. Para alcançar este cenário, a equipe precisaria duas vitórias ou uma vitória e dois empates.

“Não é fácil fazer uma campanha de recuperação na Série B. A gente precisava estar com pelo menos 20 pontos na virada do turno. Sem isso, cria uma instabilidade no trabalho, para quem comanda e para os comandados. Independente de continuar na Ponte no futuro, esse ano será difícil. Eu acredito que, com a manutenção, a Ponte vai conseguir estabilizar em todos os sentidos no próximo ano”, encerrou.

Foto de Diego Almeida/Pontepress

Comente com seu Facebook