Pela primeira vez na história, Guarani e Brusque vão duelar no Brinco de Ouro. A partida é válida pela nona rodada da Série B do Campeonato Brasileiro e com muitos ingredientes para os torcedores das equipes.

MANDANTE X VISITANTE
O Guarani é dono da segunda pior campanha como mandante na atual edição do Campeonato Brasileiro. A equipe campineira só tem campanha superior ao Londrina, que somou dois pontos. Até o momento, o Bugre venceu apenas um jogo no Brinco de Ouro: o dérbi 200. Por outro lado, o Brusque aparece com campanha razoável como visitante: duas vitórias em quatro jogos.

G4 COMO META
O grupo de acesso é a meta das duas equipes, mas com situações diferentes. O time catarinense tem 13 pontos e praticamente garante um lugar dentro do G4 se conseguir a vitória. Por outro lado, com 10 pontos, o Guarani pode colar justamente no Brusque em caso de vitória e colar no grupo dos primeiros colocados. A equipe de Daniel Paulista quer refazer as pazes com a vitória já que perdeu uma e empatou duas nos últimos três jogos.

REENCONTRO COM JEFFERSON PAULINO
A partida deste domingo também vai marcar o reencontro com o goleiro Jefferson Paulino. O atleta de 29 anos defendeu o Guarani em duas temporadas (2019 e 2020) e disputou 35 jogos. Neste ano se transferiu para a Inter de Limeira no primeiro semestre para disputar o Paulistão antes de ser anunciado pelo Brusque. O jogo deste domingo será o quarto de Paulino com o time catarinense. Outro ex-bugrino é o zagueiro Éverton Alemão. O atleta de 28 anos defendeu o time campineiro em 11 jogos durante a temporada 2018.

DUELO TÁTICO
Daniel Paulista tem apostado na manutenção do 4-3-3 com variação do 4-2-3-1 na equipe do Guarani. Davó tem sido o jogador de referência com aproximação de Régis, que vive fase artilheira, mas com bom revezamento ofensivo com Júlio César e Bruno Sávio que ditam um ritmo de maior velocidade no sistema ofensivo. Na defesa está a grande incógnita já que Thales está suspenso. Carlão foi liberado pelo departamento médico, mas tem poucas chances de começar como titular. O jovem Titi aparece como candidato para substituir Thales, mas Índio pode entrar no time e realocar Bruno Silva para a zaga.

Já o Brusque de Jerson Testoni é um time que atua no clássico 4-2-3-1 e tem muita dificuldade de enfrentar equipes que atuam com linhas baixas. A equipe aposta no contra-ataque com a velocidade dos pontos Gabriel Taliari e Diego Matheus, que contam com o apoio dos laterais, sempre buscando cruzamentos para o centroavante Edu, protagonista da equipe. O lado esquerdo é o mais forte da equipe catarinense e deve dar trabalho para Diogo Matheus.

GUARANI
Formação: 4-3-3
Variações: 4-2-3-1, 4-4-2
Provável time: Gabriel Mesquita; Diogo Matheus, Bruno Silva, Ronaldo Alves e Bidu; Índio (Titi), Rodrigo Andrade e Régis; Bruno Sávio, Júlio César e Davó
Destaque: Régis, artilheiro e organizador do meio-campo
Principal desfalque: Thales, zagueiro titular
Campanha: 10 pontos em 8 jogos (41% de aproveitamento_

BRUSQUE
Formação: 4-2-3-1
Variações: 4-3-3, 3-4-3
Provável time: Jefferson Paulino; Toty, Ianson, Claudinho e Airton; Rodolfo Potiguar e Zé Mateus; Diego Mathias, Thiago Alagoano e Gabriel Taliari; Edu
Destaque: Edu, responsável por 75% dos gols da equipe
Principal desfalque: Alex Ruan
Campanha: 13 pontos em 7 jogos (61% de aproveitamento)

Foto de Lucas Cardoso/Brusque

Comente com seu Facebook