Dívida do Guarani com a União é a maior entre times da Série B; clube contesta

0

Depois de resolver o principal problema do clube, as dívidas trabalhistas, o Guarani ainda tem débitos consideráveis com a União, em que são considerados débitos tributários e previdenciários, Imposto de Renda, CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido), PIS e Cofins, FGTS e INSS. Uma reportagem publicada nesta quinta (25/04) pela Folha de São Paulo faz um levantamento de tais dívidas e coloca o Bugre na liderança entre os times participantes da Série B.

Ao todo, a dívida do Guarani com a União é de R$ 27.214.063,23 e a reportagem, diz que o número foi adquirido depois de 2016, quando o Profut entrou em vigor no país. Vale lembrar que o Guarani não aderiu ao Profut, programa do Governo Federal lançado em 2015 que refinancia as dívidas, concede descontos e benefícios além de isentar encargos legais. Na série A, o Palmeiras também não aderiu ao programa e outros clubes que têm a dívida refinanciada pelo Profut também aumentaram significativamente seu passivo, como os times cariocas. Juntos, os 4 grandes do futebol do Rio devem à União mais de 800 milhões de reais.

De acordo com a reportagem da Folha de São Paulo, o Atlético Mineiro é o líder em dívidas com a União. O clube deve mais de 350 milhões de reais.

De acordo com o presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho, o clube optou por não aderir ao Profut porque o programa exigia comprometimento superior à capacidade financeira do clube e não iria cumprir com as parcelas para o pagamento. Além disso, de acordo com o Palmeron, o documento “exigia que o clube desistisse de ações judiciais e assinasse uma confissão de dívidas que majoraria nosso passivo tributário”.

Ainda de acordo com o mandatário, “mais de 20 milhões destes números se referem a um processo administrativo em que infelizmente o Guarani perdeu prazo para recurso.” O fato ocorreu na administração passada. O clube vai tentar reverter judicialmente o valor e espera que as cifras caiam para cerca de 6 milhões. “Trata-se de uma cobrança indevida por parte da Receita Federal. Cobrança esta que todos os times do Brasil estão conseguindo cancelar administrativamente,” disse Palmeron.

O Guarani tem a situação bem encaminhada para resolver as dívidas trabalhistas em um período curto. A negociação do estádio Brinco de Ouro com a Magnum prevê a saída do time do estádio Brinco de Ouro em troca de uma Arena e o pagamento do passivo trabalhista.

 

Comente com seu Facebook