#DérbiNaBand: Estreantes, Louzer e Doriva buscam afirmação como técnicos

0

Após longos cinco anos de distância, Guarani e Ponte Preta voltam a duelar neste sábado, às 19h, no Brinco de Ouro, pela quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. No gramado, os dois rivais tradicionais escrevem mais um capítulo de uma rivalidade mais do que centenária, enquanto os dois técnicos buscam afirmação no cenário.

Umberto Louzer e Doriva são estreantes no principal clássico do interior brasileiro. Enquanto ainda comemora o primeiro título como treinador, outro quer recolocação após um período de incertezas.

GATO NA COPA SÃO PAULO, PUPILO DE VADÃO E CAMPEÃO DA A2: UMBERTO LOUZER CHEGA RESPALDADO PARA O CLÁSSICO

A vida de Umberto Louzer até poderia estar mais tranquila após o título e o acesso da Série A2 do Campeonato Paulista, mas não há paz em semana de Dérbi. Mesmo respaldado pela recente conquista, o comandante de 38 anos quer começar sua vida no clássico com o pé direito para seguir o plano dentro da competição.

Louzer aposentou a carreira de volante em 2014 após passagem pelo Paulista de Jundiaí, onde começou a carreira. Foi jogador do Guarani por três temporadas e disputou um Dérbi, no Paulistão de 2006, como volante do Bugre.

Sua primeira experiência como técnico foi na Copa São Paulo de 2017 com o Paulista de Jundiaí, mas a equipe ficou conhecido por um marco negativo mesmo sendo finalista. O time de Louzer foi denunciado pela FPF porque o jogador Brendon Matheus Lima dos Santos usou documentos falsos para jogar.

Mesmo com toda a situação de Brendon, o trabalho de Louzer chamou atenção da diretoria do Guarani. Ele recebeu um convite para integrar a comissão técnica do Bugre e voltou ao Brinco dez anos depois em uma nova função: a de auxiliar.

Louzer virou peça fundamental principalmente nos treinamentos. Virou pupilo de Vadão e aplicava os treinos durante boa parte da semana, com exceção ao período de Lisca, quando ajudou nas categorias de base.

Voltou a figurar no time principal no final de 2017 na transição de trabalho com o recém-contratado Fernando Diniz. Alias, Diniz tem participação fundamental na vida do treinador no Brinco de Ouro. Ele trocou o Guarani por um convite do Atlético-PR e deixou a equipe sem técnico faltando 15 dias para o início da Série A2.

Foi quando Louzer recebeu a notícia que pouco esperava: a efetivação como técnico para 2018. O jogador foi apoiado pelos líderes do grupo Fumagalli e Willian Rocha e aceitou o desafio. Dentro de campo fez o que nenhum outro treinador conseguiu em cinco anos de A2: liderança na primeira fase, acesso garantindo e título no Brinco de Ouro.

Louzer completa na quinta-feira cinco meses como treinador do Alviverde e quer o Dérbi para coroar seu nome na história do clube assim como Vadão – responsável por apoiá-lo como treinador.

TÍTULO PAULISTA COM ITUANO, SAÍDA PELOS FUNDOS E SEGUNDA CHANCE NA PONTE PRETA: DORIVA QUER PAZ NA MACACA

A vida de Doriva não está fácil. As críticas com o futebol da Ponte Preta só aumentam e o treinador quer uma vitória no Dérbi para não ter seu cargo ameaçado. Em sua segunda passagem no Moisés Lucarelli, Doriva tenta apagar aquela imagem da saída pelos fundos em 2015 para dirigir o São Paulo.

Diferente do adversário de sábado, Doriva tem mais rodagem. Se aposentou das funções de volante em 2008 e iniciou a carreira no Ituano em 2014. Logo no primeiro ano como técnico, surpreendeu o Brasil e conquistou o Campeonato Paulista com o Galo de Itu em cima do Santos.

Depois recebeu chances no Vasco e no Atlético-PR, mas não obteve o mesmo êxito. Foi então que recebeu o convite da Macaca em 2015 e conseguiu certo destaque no Brasileirão até ser convidado para dirigir o São Paulo.

Escolha errada. A partir da ida para a equipe do Morumbi, Doriva caiu no ostracismo. Passou por Bahia, Santa Cruz, Atlético-GO e só recuperou sua moral no cenário brasileiro com uma boa campanha do Novorizontino no Paulistão deste ano, mas com direito a eliminação com goleada para o Palmeiras.

Voltou a Macaca para substituir Eduardo Baptista e ‘disputou’ o posto de treinador com o auxiliar João Brigatti, que tem o carinho da torcida. Após três jogos na Série B e dois na Copa do Brasil, Doriva obteve duas vitórias, mas o futebol não agradou em nenhuma ocasião. Apenas 45 minutos diante do Náutico renderam elogios da crítica.

Doriva tem dois passos importantes na Ponte Preta: primeiro com o Flamengo na Copa do Brasil e depois o Dérbi. Com a sombra de João Brigatti crescendo, precisa vencer para respirar e ser respaldado pela diretoria da Macaca.

A partida entre Guarani e Ponte Preta terá transmissão da Rádio Bandeirantes AM 1170. A programação especial começa no sábado, a partir das 10 horas, com convidados especiais. #DérbiNaBand 

Comente com seu Facebook