O departamento jurídico da Ponte Preta conseguiu nova virada contra o ex-zagueiro Rodrigo.

Após decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região em reter 100% dos valores recebidos pelo clube das cotas da Copa do Brasil e Série B, os advogados da Macaca conseguiram reverter para 10% de premiações mensais.

O ex-zagueiro, que teve duas passagens pelo Moisés Lucarelli, cobra um valor de R$ 2,9 milhões do clube.

“Vale ressaltar que, como destaca o próprio desembargador na sentença, ainda há uma série de recursos da Ponte Preta que ainda não foram julgados, entre eles o da revisão dos valores que são alegados por Rodrigo”, explicou o clube em nota.

A Macaca está sendo de fendida pelos advogados João Felipe Artioli e Talita Garcez Brigatto.