O treinador do Guarani iniciou a entrevista festiva após a vitória no dérbi campineiro estendendo as felicitações pelo resultado a todos: “Esse parabéns tem que se estender a todo mundo. Não fui eu quem ganhei, a vitória é do Guarani, das pessoas que fazem o Guarani no dia-a-dia”, disse.

O comandante alviverde falou da dificuldade em estudar as variações demonstrada pelo adversário nas últimas partidas; avaliou o Guarani como superior no primeiro tempo e reconheceu a queda de rendimento na etapa final.

Para o treinador, é natural que este início de trabalho gere desconfiança e que uma vitória no clássico ajuda a construir uma identidade mais positiva à frente do time. “Acho que a vitória não é só importante para o Daniel, é importante pra todos, porque consolida o trabalho que estamos fazendo na Série B”.

Daniel Paulista comentou também da variação no esquema, em momentos com dois zagueiros, em outros com Bruno Silva fazendo papel de terceiro defensor. Outra questão abordada foi o rendimento físico dos atletas, que apresentaram problemas ao longo da semana e foram substituídos ao longo do segundo tempo. Para ele, as mudanças não foram determinantes para o time dar mais espaços para a Ponte. “A Ponte cresceu no segundo tempo, porque precisava criar uma alternativa diferente, isso gerou uma instabilidade, pelo fato de alguns atletas não estarem em melhores condições. Tivemos que baixar as linhas, ficar em posição de contra ataque. Mas de maneira geral a gente não sofreu (…) Tô muito satisfeito com a estratégia que propomos pro jogo”.

O Bugre já volta a campo na próxima terça, 22/06, diante do Remo em Belém-PA. “O Guarani tá num trabalho bom, correto. A gente espera seguir assim, para no final da Série B chegar no objetivo”, disse.

Comente com seu Facebook