A chapa Movimento Renascer Pontepretano foi a vencedora das eleições da Ponte Preta e assume a gestão do clube a partir da próxima temporada.

Após o pleito, André Carelli, um dos coordenadores do grupo, conversou com o repórter Antonio Luppi sobre os primeiros passos na parte administrativa da Macaca.

“Todo nosso projeto para chegar até aqui ocorreu durante dois anos. Foram dois anos trabalhando, conversando com os conselheiros e desenvolvendo um planejamento estratégico não apenas para vencer as eleições, mas também pensando na gestão de 2022. Daqui para frente nosso pensamento é na reestruturação do clube que passa por grandes dificuldades”, disse Carelli em entrevista aos Donos da Bola da Band Mais TV.

Carelli também citou que a nova diretoria não estará com portas fechadas para o grupo DNA pontepretano, adversário nas eleições.

“Nós fomos adversários no pleito eleitoral, mas somos todos pontepretanos. Não existe concorrência porque torcemos para o mesmo clube, mas com ideias divergências. Sabemos que as redes sociais ferverem, tivemos ofensas dos dois lados e isso foi muito deselegante. Eu não concordo com a questão das liminares porque o estatuto foi cumprido com muito rigor pelo Conselho Deliberativo”, completou.

O próximo passo será a definição do presidente do clube para os próximos anos.

Comente com seu Facebook