O elenco do Guarani passou por reformulação durante o período de pandemia e paralisação do futebol brasileiro. O plantel de Thiago Carpini perde cinco atletas e recebeu a contratação do meia Arthur Rezende, que estava no Bahia.

O zagueiro Vitor Mendes, o lateral Thallyson, os meias Bady e Juninho, além do atacante Júnior Todinho deixaram o Brinco de Ouro e não renovaram seus vínculos.

Jefferson Paulino, Cristovam, Bruno Silva e Alemão acertaram suas permanências assim como Pablo tem negociação avançada para ficar no Brinco de Ouro.

Mas como fica a base do time de Carpini com todas essas alterações?

Com base na escalação e formação utilizada nas rodadas iniciais do Campeonato Paulista, são pelo menos três alterações na estrutura da equipe.

Arthur Rezende chega com a condição de titular e deve ser aproveitado por Carpini na mesma função do ano passado: segundo homem do meio-campo, atuando ao lado de Deivid e iniciando as jogadas de ataque.

Titular no dérbi 196, Thallyson será substituído por Bidu, utilizado nas seis rodadas iniciais antes de se machucar no aquecimento da partida contra o Palmeiras.

A principal dúvida envolve Júnior Todinho. Com seis gols em nove jogos, o atacante era o principal nome do sistema ofensivo e pode ser substituído por Alemão ou Bruno Sávio.

PRIMEIRA OPÇÃO: Jefferson Paulino; Pablo, Bruno Silva, Leandro Almeida e Bidu; Deivid, Arthur Rezende, Lucas Crispim e Giovanny; Rafael Costa e Alemão (Bruno Sávio).

Outra possibilidade é utilizando um novo sistema de jogo com mais jogadores no meio-campo. Sendo assim, o time seria escalado com Jefferson Paulino; Pablo, Bruno Silva, Leandro Almeida e Bidu; Deivid e Eduardo Person; Lucas Crispim, Arthur Rezende e Giovanny; Rafael Costa.

E para você: como fica o time do Guarani com alterações durante o período de paralisação?

Foto de Letícia Martins/Guarani FC

Comente com seu Facebook