Com interino que “vai ficando”, Guarani repete fórmula de 2018

0
Foto: Gabriel Ferrari/Guarani Press

Experiente treinador é demitido. Um funcionário do clube, que exercia outra função, assume o comando do elenco profissional de forma interina. A diretoria tenta a contratação imediata de outro profissional, mas tem um “não” como resposta. O treinador provisório “vai ficando”, conquista resultados positivos e recebe alguns elogios.

ESPEL ELEVADORES

O cenário atual do Guarani com Thiago Carpini é muito próximo ao que vivenciou Umberto Louzer no início de 2018.

Após a saída de Fernando Diniz, que aceitou um convite do Athletico Paranaense, o auxiliar foi responsável por conduzir o Bugre nas primeiras rodadas da Série A2, conquistou resultados positivos e ficou no comando da equipe até o final da temporada: conquistando acesso e título no Estadual, além de garantir manutenção na Série B.

Todas vezes que o ex-presidente Palmeron Mendes Filho ou integrantes do Conselho de Administração arriscaram uma contratação no mercado o resultado foi o mesmo: fracasso. Marcelo Cabo, Lisca, Osmar Loss, Vinicus Eutrópio e Roberto Fonseca.

Aprenderam a lição? Não. Tentaram Gilson Kleina, Jorginho e outros treinadores no mercado, mas pela dificuldade decidiram por Carpini até segunda ordem. Resultado: três vitórias em cinco jogos e o time saiu da condição de virtual rebaixado para brigar com mais confiança contra a degola.

As diferenças, evidentemente, existem. Os profissionais são outros, os jogadores também e a principalmente a condição. Mas chama atenção a quantidade de semelhanças, de repetições no roteiro do comando técnico bugrino. Fica a expectativa pelos próximos capítulos. Até que ponto Carpini está respaldado? A sequência dele será a mesma de Louzer? O Guarani terá sucesso no mercado de transferência na contratação de um treinador desejado?

O discurso público de Ricardo Moisés é evitar a palavra efetivação, mas apoiar Carpini. “Ele é o nosso treinador neste momento e estamos buscando dar incentivo e o apoio que ele necessita para tirar o Guarani desta situação”, disse na semana passada no microfone da Rádio Bandeirantes.

Sobre ter feito uma nova sondagem para outro treinador – se especulou nova investida por Jorginho – o dirigente bugrino negou e reiterou que está solidário ao trabalho desenvolvido por Carpini.

O próximo compromisso do Bugre será no sábado, diante do Paraná, no Brinco de Ouro. Será a oportunidade da equipe deixar a zona de rebaixamento após 19 rodadas dentro da degola.

Comente com seu Facebook