Por Valdemir Gomes

O momento do Guarani é altamente preocupante e está tirando o sono do seu torcedor. Mas não há motivos para desespero.

O Bugre jogou apenas 10 de 38 rodadas na Série B. Ainda há muito tempo para a equipe reagir dentro da competição.

O primeiro ponto é que a comissão técnica anterior não estava fazendo uma boa campanha e dentro da tradição do futebol brasileiro não restou outra alternativa para diretoria senão a troca de Thiago Carpini por Ricardo Catalá.

Mas o que detectamos na prática até o momento?

Catalá faz uma campanha com índice melhor em aproveitamento dos pontos em relação ao trabalho de Carpini. Mas o fato preocupante é que o time comandado pelo técnico anterior deixava uma impressão melhor nos apitos finais mesmo em situações de resultados negativos.

A atual proposta do Guarani é para um futebol organizado e objetivo, mas isso ocorreu apenas contra o Operário. Nos demais jogos aparentou ser um time desinteressado e com o treinador errando em suas escolhas.

E o que fazer?

Com muitos jogos a serem disputados pela frente, mas diante de boatos sobre crise no elenco, chegou o momento que a diretoria precisa entrar em cena com o presidente Ricardo Moisés e o superintendente de futebol Michel Alves.

É preciso detectar com a máxima urgência possível o que efetivamente está acontecendo dentro dos vestiários. Se necessário for é preciso agir com energia para conter toda liderança negativa e diminuir os pontos de tensão.

Espero que a diretoria não meça esforços e não perca tempo com atitudes de dúvida pois este é o momento de providências com Ricardo Moisés ou Michel Alves. São profissionais competentes e com experiência para agir.

É o momento da diretoria. É o momento de expurgar lideranças negativas.

A comissão técnica ainda está iniciando o trabalho e precisa do respaldo da diretoria com medidas efetivas no ponto de visa disciplinar para separar aqueles que não estão engajados no projeto do Guarani que é chegar entre os quatro primeiros na Série B.

Quem não estiver respeitando a história e o que representa a camisa do Guarani Futebol Clube precisa ser “convidado” a puxar o carro e deixar a missão e o espaço para quem realmente quer levar a sério e respeitar verdadeiramente o torcedor do Guarani.

Foto de David Oliveira/Guarani FC