Por Valdemir Gomes

Ainda é possível acreditar no elenco da Ponte Preta?

Claro que sim.

É um elenco que já mostrou boas apresentações, demonstrou bons resultados e chegou próximo ao posto de líder da Série B.

É o mesmo elenco que também conseguiu uma proeza: escapar do rebaixamento após ser dado como fora da elite do Campeonato Paulista de 2021. A Ponte estava na lanterna absoluta, precisava ganhar dois jogos combinando com outros resultados e conseguiu reagir.

Na Copa do Brasil este elenco chegou na quarta fase e fez um jogo equilibrado contra o América no primeiro jogo, mas vacilou no jogo de ida e acabou tendo um comportamento diferente em Belo Horizonte.

Esse elenco permaneceu por 12 das 18 rodadas disputadas dentro do G4.

Eu acho que não é pouco e por esse motivo eu acredito que não dá para duvidar da qualidade do elenco.

Mas e as contratações feitas nas últimas semanas? Léo Pereira, Ruan Renato, Barreto, Tiago Orobó e Wanderley ainda não mostraram que fortaleceram o elenco.

Quem deixou a melhor impressão até o momento foi o lateral Léo Pereira.

Então do time que escapou com competência do Paulistão, chegou na quarta fase da Copa do Brasil e permaneceu por 12 rodadas dentro do G4, eu acho que merece confiança e respeito da torcida.

Mas é preciso estancar imediatamente o momento altamente negativo pelo qual passa desde a chegada do técnico Marcelo Oliveira por consequência da saída de João Brigatti.

Vai conseguir Marcelo Oliveira devolver a vibração e a raça que tinha com Brigatti? Ou vai ser esse time que aumentou a posse de bola e diminuiu a quantidade de gols marcados?

A pergunta que se faz é essa: o time vai jogar nas mãos de Marcelo Oliveira o mesmo que jogou com Brigatti?

Acredito que os próximos três jogos vão responder se será necessária uma nova troca no comando técnico.

Mas com relação ao elenco não há motivo para que ele não volte a render aquilo que já rendeu em determinado momento da temporada.

Foto de Alberto Nucci/Pontepress