Por Gleguer Zorzin

Rafael Pin é o centro das discussões no sistema defensivo do Guarani.

O goleiro mostrou na Inter de Limeira ter personalidade e foi uma referência dentro do elenco com grandes partidas.

Eu sempre gosto de lembrar que no jogo do acesso da Inter contra o XV de Piracicaba ele foi um dos melhores em campo e decisivo nas cobranças de pênalti após um jogo difícil.

Depois fez um Campeonato Paulista de destaque no time mediano da Internacional e ajudou com grandes defesas durante os jogos da primeira fase e Troféu do Interior.

Eu sempre fui a favor da contratação de Rafael Pin principalmente para ser uma sombra para Jefferson Paulino após a saída de Matheus Cavichiolli para o América Mineiro.

Mas e na prática?

Pin assumiu a titularidade e oscilou um pouco no aspecto emocional. Foi diferente em relação ao goleiro que tinha personalidade na meta da Inter. Ele precisa retomar isso.

Claro que falta um pouco de sequência para o goleiro bugrino e a partida contra o Operário apresentou uma melhora neste aspecto. Estou convicto que Catalá identificou isso.

Goleiros precisam de sequência, regularidade e entrosamento. São ingredientes que colaboram na evolução, adaptação e desempenho.

Pin é um goleiro do mesmo nível de Paulino, mas que merece uma oportunidade e pode ser o jogador certo para o Guarani.

Mas fica uma cobrança para o preparador Gilberto Félix também. A comissão técnica precisa realizar trabalhos específicos com os dois principais goleiros. Eles estão falhando nos mesmos fundamentos e isso não pode acontecer. É preciso intensificar esse trabalho.

Tempo e trabalho: eu acredito na evolução do Pin.

Foto de David Oliveira/Guarani FC

Comente com seu Facebook