Por Gleguer Zorzin

Ricardo Catalá é um dos mais promissores técnicos da nova geração.

O treinador fez um bom trabalho no Mirassol na última edição do Campeonato Paulista e acabou gerando ainda mais expectativas após conseguir dar um padrão ao time que perdeu metade do elenco na pandemia e conseguiu chegar em uma semifinal de Paulistão.

Mas agora a missão no Guarani e a falta de experiência é um ponto que precisa ser levado em consideração.

A expectativa sobre o trabalho de Catalá é muito boa da minha parte, mas ele precisará de tempo para se adaptar ao clube e conhecer o elenco. Na partida contra o Oeste ficou claro que ainda não há domínio sobre o elenco após algumas substituições.

Catalá assume um time cheio de problemas dentro de campo e dificuldades fora dele. Ele vai precisar ajustar um time taticamente e corrigir erros na bola parada defensiva.

O profissional tem uma comissão técnica competente e experiente para driblar um calendário apertado.

A primeira impressão acabou não sendo boa, mas o dia a dia vai dar a possibilidade de colocar seu padrão de jogo e encaixar seu esquema para vencer a atual desorganização bugrina.

Agora é hora de aguardar.

O método de trabalho no Guarani é diferente em relação ao Red Bull e Mirassol. Catalá vai enfrentar um clube com pressão, torcida atuante e cobrança da imprensa. Mas ele tem atributos suficientes para conseguir driblar tudo isso e se sair bem.

Foto de David Oliveira/Guarani FC

Comente com seu Facebook