Por Carlos Henrique Siebert

A vitória da Ponte Preta por 3 a 1, diante do Oeste, no Canindé, demonstrou pontos importantes sobre o momento da equipe.

O professor João Brigatti começou a partida com algumas invenções como Bruno Reis de volante, Zanocelo atuando sem ritmo e outros pontos que não me agradaram principalmente no primeiro tempo.

Claro que a questão do calendário, ritmo de jogo e rodízio entre os jogadores são justificativas compreensíveis. Também acredito que dar quilometragem aos atletas é importante, mas não é o momento de muita experiência.

Brigatti precisa encontrar o time titular que ainda não encontrou.

A primeira coisa é achar a escalação e passar confiança.

Um bom caminho é aproveitar o entrosamento do trio que veio do Mirassol: Neto Moura, Luís Oyama e Camilo. Neste momento eu não abriria mão destes jogadores iniciando os jogos.

Obviamente que o treinador precisará entrosar com outras peças.

Existe um grande dilema na frente após a saída do Roger. Qual é o melhor substituto?

Matheus Peixoto fez bons jogos, mas ainda não consigo concluir que é o novo camisa 9. Mas por características é quem melhor se encaixa no esquema.

O time da Ponte tem um bom tratamento de bola e virou uma equipe com profundidade. E um cara como Matheus Peixoto pode render pelo faro de gol, estatura e bom posicionamento.

Brigatti tem observado o Zé Roberto como outra opção, mas acredito que ele ainda precisa provar mais. É um jogador voluntarioso, mas quando joga pelas extremas não consegue ser agudo e contribuir com a proposta da equipe.

Eu acredito que Brigatti vai conseguir solucionar os problemas com o passar dos jogos, mas é preciso encontrar a equipe titular.

A partida contra o Oeste foi importante para demonstrar força no meio-campo e acreditar que a defesa pode passar mais segurança com ajustes. Apodi voltou a jogar bem, Luizão e Wellington Carvalho aparentam ser a dupla ideal no momento e a disputa entre Ernandes e Lazaroni será equilibrada.

O mais importante é jogar futebol e desenvolver com os jogos. E isso vai acontecer. Acredito que acertando o parceiro do centroavante a coisa vai ficar ainda mais redonda.

Bom para o Brigatti. Mas espero que não perca a mão porque muitos técnicos se perdem com várias opções.

O caminho está sendo pavimentado e a Ponte tem tudo para fazer uma Série B com muita competência.

Foto de Luiz Martins/Pontepress

Comente com seu Facebook