Cogestão do Guarani não será definida no dia 13; denúncia de ex-presidente será analisada no sábado

0

por júlio nascimento

ESPEL ELEVADORES

O futuro do Guarani ainda não será definido no dia 13 de agosto. O presidente Palmeron Mendes Filho acatou o pedido do Conselho Deliberativo para adiar a votação sobre a gestão compartilhada e ter mais tempo para analisar propostas de Magnum/ASA e Nenê Zini/Elenko/Traffic.

A Assembleia de Sócios está mantida e terá início às 19h30, mas para os empresários Nenê Zini e Roberto Graziano explicarem os projetos – o que tem sido feito em entrevistas exclusivas na Rádio Bandeirantes de Campinas.

Em relação as denúncias apresentadas pelo ex-presidente Horley Senna, o Comitê de Ética do Bugre vai analisar as ações do diretor comercial, Anaílson Neves, e do agente Lucas Andrino na semana passada. A alegação de Senna é que Anaílson teria participação no pagamento de dívidas de quatorze associados inadimplentes que estariam a favor da Magnum. A exclusão do quadro social não está descartada.

A data da definição da Assembleia que vai decidir pelo futuro da administração do Bugre ainda não foi divulgada. Parte dos sócios solicitaram que o processo fosse retomado apenas após a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B.

 

Comente com seu Facebook