Criado no laço da Ponte Preta, Claudinho foi um dos grandes nomes da década de 90 no futebol campineiro e colaborou diretamente com o sucesso da Macaca em edições do Campeonato Paulista e do Brasileirão.

O atacante foi um dos principais nomes da campanha do acesso na Série B em 97. Sendo decisivo contra Vila Nova e Náutico, o ex-atleta da Macaca ajudou a equipe a voltar para a elite do futebol nacional depois de onze anos.

“Todos os gols foram importantes, inclusive o jogo do Vila Nova por tudo que envolveu, mas o gol contra o Náutico por ter sido a decisão foi realmente inesquecível. Foram grandes jogos e momentos com a camisa da Macaca durante a campanha do acesso”, explicou em entrevista à Rádio Bandeirantes de Campinas.

Um dos pontos da campanha da Macaca foi a troca no comando técnico com a saída surpreendente de Pardal para chegada de Pepe e a confirmação do acesso posteriormente.

“Eu divido aquela temporada em duas etapas: eu fiquei chateado com a saída do Pardal para chegada do Seo Pepe, mas aquilo foi necessário para dar uma mexida no elenco após uma derrota de 3 a 0 para o Náutico e aquilo mudou muito nossa motivação. Eu acredito que foi uma estratégia da diretoria para balançar. Pepe é um vencedor, conhecia o nosso grupo e foi uma pessoa que colaborou muito também”, continuou.

Claudinho também ficou conhecido por ter se tornado o primeiro jogador a conseguir passe livre com a aprovação da Lei Pelé em 1998.

“A questão da Lei do Passe estava uma discussão muito grande na época e com todos querendo mudar a legislação para que os atletas tivessem maior liberdade. E acabei sendo o primeiro atleta a conseguir liminar para trabalhar com litígio e poderia exercer meus direitos. A partir daquele momento muitos atletas começaram a buscar seus direitos também”, relembrou.

Comente com seu Facebook