Os planos de Graziano para o Guarani após cogestão

0
F

por júlio nascimento

O Guarani decidirá no próximo dia 13 de agosto, quando comemora 40 anos do título do Campeonato Brasileiro, um importante passo para o futuro do departamento de futebol. Os sócios do clube vão decidir qual empresa auxiliará na gestão do time e terão que escolher entre Magnum/ASA ou BN Zini/Elenko/Rima.

A proposta dos empresários Roberto Graziano, da Magnum, e Felício Bragante, da ASA Alumínios, foi revelada no último sábado. Segundo a minuta do contrato, os gestores ficariam com 90% dos recursos arrecadados e tomariam conta do futebol amador e profissional, do setor comercial, da área administrativa e do Brinco de Ouro. Um aporte de R$ 20 milhões para o pagamento de dívidas trabalhistas seria a aposta dos empresários para seduzir os sócios.

A reportagem do Portal CB também apurou sobre os planos de Graziano para o futuro da equipe que disputa a Série B – o que não foi colocado em contrato.

De acordo com conselheiros ouvidos, dois cargos estariam ameaçados caso os empresários assumam o controle do departamento de futebol. O técnico Umberto Louzer e o superintendente Luciano Dias não são unanimidades entre o grupo Magnum/ASA. Marcelo Chamusca e Rodrigo Pastana – atualmente no Paraná Clube -, são nomes de confiança dos gestores e são tidos como sombras.

A decisão, entretanto, passaria também pelo Conselho de Administração. Apesar das oscilações recentes, Louzer segue respaldado pela direção bugrina e recebeu uma voto de confiança para seguir no comando do clube (ao menos até o dia 13 de agosto).

Em entrevista à Rádio Bandeirantes na manhã desta segunda-feira, 30, Palmeron negou a informação e reiterou que tanto Louzer como Luciano Dias têm o apoio da direção. “Eles estão fazendo um grande trabalho e tem contrato até o final do Campeonato Paulista. Estamos inclusive cogitando a hipótese de renovar para o Campeonato Brasileiro”, explicou.

Outro ponto que Graziano pretende implantar no Guarani são os reforços. Em contato com a reportagem, o empresário garantiu que há necessidade de pelo menos quatro reforços para a sequência da competição. O Portal CB apurou que jogadores podem ser contratados do exterior. O mercado português e do Oriente Médio estão sendo analisados pelos gestores.

A proposta da Magnum/ASA será apresentada aos sócios no dia 9 de agosto no Conselho Deliberativo. Quatro dias depois, os associados irão escolher entre a oferta de Graziano e Felício ou o projeto encabeçado pelo empresário Nenê Zini em conjunto com a Elenko Sports, Traffic e Grupo Rima.