Chamusca é apresentado na Ponte: “temos condições de brigar pelo acesso”

0

Marcelo Chamusca chegou na manhã desta segunda-feira ao estádio Moisés Lucarelli, fez apenas um trabalho com a equipe e depois foi apresentado oficialmente como novo treinador da Ponte Preta.

Antes de Chamusca, o presidente do clube, José Armando Abdalla, fez questão de explicar o desligamento de Brigatti, dizendo que o time chegou num momento em que era preciso algo mais. “Sentimos a necessidade de agregar uma experiência maior nesta reta final”. Abdalla disse ainda que era desejo dele e de toda a diretoria que o ex-treinador continuasse como auxiliar, mas também deixou no ar que Brigatti deve surgir como treinador do Paysandu nas próximas horas.

Na primeira coletiva como treinador da Ponte, Chamusca respondeu o porquê aceitou o convite da Ponte. O treinador elogiou o elenco, confirmou que recebeu outras propostas de clubes da Série B, mas afirmou que chegou a um momento na carreira em que é capaz de escolher os próximos trabalhos e que só optou em vir a Campinas por acreditar que a Macaca tem reais condições que conseguir uma arrancada na reta final da Série B. “Eu vejo todas as condições: estrutura, camisa, história, torcida, enfim, todos os fatores para conquistar o acesso à Série A”.

Chamusca disse que o clube tem pela frente 14 finais, como se fosse uma disputa de um campeonato estadual, de curta duração.

Pelo pouco tempo de trabalho, o treinador confirmou que não deve fazer profundas mudanças na partida de estreia dele, amanhã diante do Atlético-GO fora de casa. “A maior mudança deve ser na escalação do que na parte tática, mas, vão se acostumando, porque eu também posso mentir pra vocês”, afirmou Chamusca num tom de brincadeira e mistério com os jornalistas que acompanhavam a entrevista. Vale lembrar que, durante o primeiro e único treino dele, as conversas longas do comandante foram com os meias Murilo e Tiago Real.

Com relação a reforços, o novo técnico disse que ainda é cedo para detectar alguma necessidade no elenco, reconhece que o time tem um número satisfatório de jogadores e elogia o fato de ter atletas que podem fazer mais de uma função dentro de campo. Chamusca diz não ter característica de pedir contratações às diretorias mas confirmou que a partida diante do Atlético-GO será fundamental para alguns diagnósticos: “Jogo de amanhã pra mim será um laboratório fundamental para indicar algum atleta”.

Com contrato até o final da Série B, Chamusca confirmou que já tem o time definido para o jogo desta segunda, mas manteve o mistério já característico dos últimos comandantes pontepretanos.