Texto de Carlos Batista

Zé Arnaldo foi quem me trouxe para o rádio de Campinas em 1984.

Foi mais que um chefe. Foi meu mestre, um pai, um irmão, um professor e um grande amigo.

O Zé Arnaldo foi um profissional verdadeiramente raro, com um olhar amplificado dos acontecimentos, voz potente e marcante e de imensa credibilidade.

Tinha uma comunicação limpa, direta e que fazia estremecer as estruturas. Para debater com ele precisava ter muito embasamento.

Seres humanos estão longe de atingirem a perfeição. Mas o Zé Arnaldo foi perfeito e deixa para o futuro da comunicação um modelo para quem quiser seguir nesta espinhosa profissão.

Zé Arnaldo foi gigante para o seu tempo. Uma pessoa extremamente autentica e com valores genuinamente éticos. Vai deixar muita saudade nos corações e mentes.

A notícia de sua partida é de uma tristeza inexplicável e dilacerou o meu coração.

A verdade é que somos menores que um grão de areia diante da dimensão do universo e o proposito de Deus é inquestionável.

Que o nosso pai maior te receba querido amigo Zé Arnaldo.

Você vai ao encontro de sua amada esposa Beth e estarão juntos novamente.