Brigatti X Louzer: ex-auxiliares que conquistaram o direito de disputar o dérbi

0

Quando entrarem em campo no próximo sábado, às quatro e meia da tarde no Majestoso, Umberto Louzer (do Guarani) e João Brigatti (da Ponte Preta) vão viver um momento único nas curtas carreiras como treinadores.

Os dois profissionais certamente estão ansiosos para os próximos noventa minutos da série B, os dois chegaram ao comando das equipes campineiras pelo mesmo caminho, os dois já mostraram que têm personalidade e construíram, de maneiras distintas, identificação com os clubes. Em comum, eles começaram a trabalhar na Ponte e no Guarani como auxiliares fixos das comissões técnicas e a oportunidade de dar um salto na carreira aconteceu quando menos esperavam.

Umberto Louzer e João Brigatti conquistaram o posto de treinadores quase repentinamente. O treinador do Guarani está há mais tempo no comando. Mas ele não esperava que a oportunidade viria tão cedo. A saída de Fernando Diniz com menos de um mês de Guarani deixou a oportunidade para Umberto. Convite aceito, ele adaptou os trabalhos do antecessor às suas concepções táticas, foi coerente na maioria das escolhas durante o Paulista da Série A2 e, com superioridade, levou o Bugre ao título Estadual. A sequência para comandar o time no Brasileiro da Série B aconteceu de maneira natural. Louzer pode não ter unanimidade entre os torcedores bugrinos, mas já demonstrou que tem condições de continuar lutando na parte de cima da tabela do nacional.

A trajetória de João Brigatti foi diferente. Ídolo como goleiro da Macaca na década de 80 e preparador de goleiros do time no início dos anos 2000, ele retornou à Ponte no começo de 2017 como auxiliar técnico e toda vez que algum treinador era desligado do clube, Brigatti assumia o posto de maneira interina. Quando Doriva foi embora em maio, Brigatti, em princípio, assumiria mais uma vez por pouco tempo. Mas, a medida que os resultados do time melhoraram, a diretoria não falou mais em um novo treinador e o interino assumiu, de maneira natural, o posto de treinador efetivo.

Umberto Louzer já sentiu o gosto de disputar um dérbi como treinador. No primeiro turno, após a derrota por 3 a 2 no Brinco de Ouro, o técnico declarou que aquele era o pior dia da carreira. O desempenho de Louzer nos 40 jogos à frente do Bugre está em 60,8%, com 22 vitórias, 7 empates e 11 derrotas.

João Brigatti é mais experiente que Louzer em dérbis, mas vai debutar como comandante. Nas três ocasiões que assumiu a Macaca, ele acumula 26 partidas e tem aproveitamento bem parecido com o treinador bugrino: 57,6% com 12 vitórias, 9 empates e 5 derrotas.

 

Números parecidos, mas concepções de jogo diferentes no momento. Enquanto Umberto Louzer tenta priorizar a posse de bola, marcação alta e ataque que busca pressão a todo momento; mas com um ponto fraco, a defesa vem sendo alvo de críticas desde o início do ano. Já Brigatti teve que conviver com as limitações financeiras para reagir na Série B. A aposta é em lançamentos precisos, ataque rápido e precisão nas finalizações. No entanto, a falta de padrão e de titulares no meio-campo tem sido um ponto alto para a irregularidade principalmente diante de times que estão na parte de baixo da tabela.