A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu Léo Simão Holanda como árbitro da partida de quinta-feira, entre Sampaio Corrêa e Guarani, na 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O árbitro de 31 anos trabalhou em três jogos da Série B nesta temporada: Confiança 1×2 CRB, Remo 1×0 Náutico e Guarani 3×0 Londrina. Será o 16º jogo que Simão vai apitar em 2021.

Mas apesar de ter feito uma arbitragem discreta no último jogo do Bugre, Simão é sempre lembrado por polêmicas envolvendo os times de Campinas.

A mais famosa foi no confronto entre Aparecidense e Ponte Preta em 2019 pela Copa do Brasil. Ele era o árbitro da partida que acabou anulada após comprovação de interferência externa.

Além de Léo Simão Holanda, os auxiliares Samuel Oliveira Costa e Eleutério Felipe Marques Júnior, todos do Ceará, foram afastados na época por erros técnicos e de procedimento na anulação do gol de Hugo Cabral aos 44 minutos do segundo tempo.

Outro momento que ficou marcante foi justamente em jogo do Guarani, também em 2019, diante do Coritiba na Série B.

Tudo começou quando o goleiro Wilson desabafou no gramado do Brinco de Ouro e precisou ser atendido pelo departamento médico. Após reiniciar a partida, Simão deu bola ao chão para o Coritiba – quando a bola deveria ter sido devolvida ao Bugre – e o time paranaense partiu para o ataque marcando com Rodrigão, atualmente na Ponte Preta. Foram oito minutos de paralisação até a decisão pela anulação do gol após o árbitro admitir erro no procedimento do lance.

Foto de Pedro Chaves/Federação Cearense

Comente com seu Facebook