Após saldo positivo em 2018, quantidade de lesões voltam a assombrar DM do Guarani

0
Foto: Créditos: Letícia Martins/Guarani Futebol Clube

Em dezembro do ano passado, o departamento médico do Guarani comemorava um número positivo: 20 lesões na temporada. Mesmo com estrutura deficitária o Bugre havia conseguido um rendimento físico e médico que superaram expectativas. Mas o desempenho neste primeiro semestre não tem sido repetido.

Com 21 jogos disputados na temporada, o Bugre já teve 15 atletas visitando o departamento médico em algum momento da temporada. Média de quase uma lesão por jogo.

No levantamento realizado pelo Portal CB, foram considerados atletas vetados pelo departamento médico do clube pelo menos em uma partida diagnosticados com dores musculares, incômodos, traumas, tendinites e estiramentos. Já gripes, viroses, indisposições e similares não entraram na lista, assim como jogadores poupados por fadiga ou cansaço muscular.

Desde a estreia no Paulistão em janeiro, frequentaram o DM: o goleiro Klever, os zagueiros Ferreira e Thalisson Kelven, os laterais Léo Príncipe, Lenon, William Matheus e Inácio Santos, o volante Fabrício Costa, os meias Rondinelly, Felipe Amorim, Carlinhos e Lucas Crispim, além dos atacantes Fernando Viana, Davó e Anselmo Ramon.

O lateral Lenon e o atacante Anselmo Ramon foram os atletas com mais tempo no DM. Já o meia Lucas Crispim, que rompeu o tendão de aquiles em janeiro, segue em recuperação e ainda sem previsão de volta aos gramados.

Das baixas médicas, 70% tiveram origem por problemas musculares. As outras são fruto de pancadas, entorses e traumas.

Para o confronto de quinta-feira, diante do Atlético, em Goiânia, três jogadores estão entregues ao DM: Léo Príncipe, Fabrício Costa e Fernando Viana. Por outro lado, Rondinelly volta a ficar à disposição após três partidas.

Comente com seu Facebook