No final de maio, em entrevista coletiva no Brinco de Ouro, o superintendente de futebol do Guarani, Michel Alves, citou sobre uma nova metodologia de trabalho da diretoria do clube.

“Temos uma responsabilidade financeira e não faremos loucuras para contratar jogadores para honrar com nossos compromissos”, explicou o dirigente.

A declaração se mostrou alinhada com a movimentação do clube no mercado. Manutenção de base, contratações pontuais e aposta em um técnico de valor dentro da realidade salarial do clube.

No início do mês, em divulgação do jornalista Rodrigo Capelo, do Globo Esporte, no ranking da transparência dos clubes, o Guarani subiu seis posições durante a gestão de Ricardo Moisés.

Uma das metas explicadas pelo próprio dirigente bugrino é reorganizar o sistema financeiro e tentar se aproximar das contas em dia com o passar dos tempos.

Neste mês, conforme oficializado pelo presidente do Conselho Fiscal, Fábio Araújo, ao jornalista Régis Melo do GE, o Bugre conseguiu pagar os salários registrados em carteira dos jogadores no dia 1º.

O pagamento é feito geralmente no dia 20, mas a diretoria conseguiu antecipar os valores e agora prioriza os acertos judiciais que ainda atrapalham os planos do Conselho de Administração.

No final de maio, a Justiça do Trabalho deu ganho de causa para dois atletas que estiveram no elenco em 2019 após processos trabalhistas abertos contra o clube. São eles o zagueiro Ferreira e o meia Rondinelly.

A 4ª Vara do Trabalho de Campinas reconheceu nas ações que o Guarani acabou infringindo regras da Lei Pelé que determina que os salários referentes ao direito de imagem não podem ultrapassar 40% do total dos ganhos de cada atleta.

No caso de Ferreira, em sentença assinada pela juíza Flavia Farias de Arruda, o Bugre foi condenado a pagar R$ 100 mil por pendências de salários, férias, FGTS e multa rescisória.

Já no caso de Rondinelly, em sentença emitida pelo juiz Eduardo Alexandre da Silva, o meia terá direito a receber verbas rescisórias do clube. O pedido inicial era de R$ 330 mil, mas ainda será realizada uma revisão para bater o martelo no valor final.

Foto de Thomaz Marostegan/Guarani FC

Comente com seu Facebook